SOBRE ABRAÇAR ÁRVORES.

Existe hoje uma atmosfera pesada na sociedade, não sei se só apenas os brasileiros sofrem com isso, mas imagino que não. Pessoas com mais fundamentos e mais estudos do que eu poderiam me tirar esse tipo de dúvida. Mas neste Natal morreu um homem. Um homem chamado Luiz Carlos Ruas; atacado brutalmente ao defender um homossexual.

Isso me faz pensar se a “família brasileira” apoia essa atitude.

Vamos manter os bons costumes!

Quando penso nesse texto ultrapassado de manter os bons costumes, de que a clássica família brasileira está em ruínas e que a causa disso são as minorias, como homossexuais, negros, nordestinos (Nordestinos minoria??? Sei não!), e por aí vai, me dá uma vontade imensa de abraçar uma árvore.

Alguns de vocês vão dizer: “Apoiamos a moral e os bons costumes, mas não a violência”. Mas a partir do momento em que plantamos a semente de que tudo o que, AO NOSSO VER,  é errado e prejudicial, e deve ser combatido com força, me desculpem, mas sim! Estamos semeando essa violência na sociedade!

Não existe como você criar uma família sem ensinar teus filhos a aceitarem as diferenças! Quando você impõe a regra de que quer viver dentro de uma bolha, recusar os desfavorecidos e mostrar aos teus que tudo ao seu redor é lindo e que se foda o resto, você está ceifando a vida de mais um Luiz Carlos Ruas.

“Mas você não tem filhos, não sabe o que é criar uma família aos 33 anos de idade”.

Tem razão! Mas a causa disso é porque eu quero fazer isso muito bem feito, e SE fizer!

Não quero colocar nada no mundo que um dia possa causar mal a alguém! Então preciso aprender e crescer como gente de verdade pra poder colocar pessoas nesse mundo.

Até lá ainda irei abraçar uma árvore e explicar para as pessoas que o cachorro alheio, que um pé de chuchu, que o morador de rua, homossexual, heterossexual, o de esquerda, o de direita, as variadas cores de pele e, não menos importante, pessoas do Sul ao Norte, são todos importantes uns para os outros! Criar bolhas isoladas é como dar origem à uma célula cancerígena.

É hora de todos nos unirmos e dar um jeito nisso. Isso é uma questão humanitária, não só de política!

Eu não entendo a dificuldade nisso, e isso me deixa puto! Me deixa puto essa sociedade que gosta de se foder! Me deixa puto ver Luizes, Marias, Paulos, Amandas, Josés e Rafaelas serem mortos todos os dias por coisas banais e por intolerância.

Chega, gente…

Vamos ensinar que podemos ser melhores do que isso. Que apreciar o cão de um transeunte alheio faz parte de admirar o mundo em que vivemos e que, se fossemos uma raça inteligente mesmo, como gostamos de dizer, trataríamos toda a natureza e os seres que nela vivem como uma única e grande família. Um não vive sem o outro.

Abrace uma árvore, abrace um desconhecido e abrace carinhosamente tudo o que vê pela frente.

Só assim pode haver a verdadeira harmonia.

E QUE EM 2017 TODOS ACORDEM PARA A REALIDADE.

Anúncios