Depositem suas letras em vossas cavidades retais.


Às vezes penso eu que é bem melhor estar fora das Letras, ainda que, por ventura, eu ainda insista em me tornar uma pessoa letrada, como no atual momento em que voltei a estudar.

Ainda que eu tenha feito estas matérias do primeiro ano, para mim lá tudo é sempre uma novidade, uma perspectiva diferente do que já me disseram. Aproveito e degusto. Estar estudando com um corpo docente diferente te dá muito mais opções do que absorver para a mente. Eu não respondo as perguntas que os professores lançam na sala, ainda que, de algumas delas, eu saiba a resposta. Fora timidez, a insegurança do que eu acho que eu já sei. Acho que nunca saberei.

Mas existem pessoas das quais ando convivendo em sala de aula que simplesmente me irritam!

Por que Letras é tão cheia de pseudo-cultos?

Pessoas que buscam, pela linguagem, desprezar os menos letrados; pois, afinal, todos que sabem escrever são, de certa forma, letrados. Quando a pompa do “pessoal de Letras” vai cair? Quando será que poderemos parecer mais com professores de História que possuem vasta sabedoria e uma humildade fascinante?

A tal da Andressa Urach lançou um livro que vende feito água. Isso foi um estopim dentro da sala de aula! “Aquela coisa”, diziam eles em protesto: “Lança um livro… As pessoas comem lixos escritos”.

Mas poxa vida… Qual a razão de pensarmos assim?

Ok. Eu nunca leria aquele livro, mas que mal tem as pessoas lerem? Vai me dizer agora que a humanidade inteira deveria ler Machado de Assis? Deveriam ler obras clássicas como “O Retrato de Dorian Gray”? Que deveriam regurgitar amores lendo os Lusíadas?

Pro inferno!

Essa gente se masturbava com as fotos de Andressa Urach antes de ela se tornar uma pessoa de família e levantar cartazes em prol da Família Brasileira.

Pro inferno vocês e pro inferno a bunda dela. Gozei o que tinha que gozar. Andressa e eu seguimos caminhos diferentes e nos deixamos em paz! Deixem-na escrever. Ela vende. Eu não. E nem você aí no primeiro ano de Letras vende. Então vai você pro inferno também!

Ah, claro! Não podia faltar o Paulo Coelho.

Não entendo essa cisma com o cara.

Os professores dizem que é ruim… Eu devo dizer?

Para alguns, sim!

O que me agasta é que estas pessoas que se mostram tão fodas, provavelmente leram mais obras clássicas do que eu, mas nem notaram que o professor, em sua vasta sabedoria, não escreveu inteiro a “Cantiga da Ribeirinha”. Pois é. Aí vem falar que alguns escritores não deveriam existir.

Até entendo. A gente se mata pra escrever ou lecionar, e uma pessoa faz uma obra ruim que vende muito. Mas isso seria como eu pintar um quadro, coisa que gosto de fazer, mas faço mal, e não vender quando alguém me fizer uma oferta milionária… Imagina?

  • Vende esse quadro feio pra mim por quinze milhões.
  • Não. Não venderei. Pois é uma obra de arte ruim essa que eu fiz.

Fala sério!

Esse rei na barriga dos Letrados me deixa encoleirado em minha raiva, enjoado e enojado daqueles que, por incrível que pareça, gostam das mesmas coisas que eu.

Esses cultos… Eles me fazem rir de raiva. Mas uma hora eu crio coragem de falar-lhes umas boas verdades, afinal, meu pau é maior que o deles! E me sentirei orgulhoso quando me mandarem pro inferno também.

Anúncios

2 comentários em “Depositem suas letras em vossas cavidades retais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s