DESCULPA PELO MEU TRABALHO MAL FEITO.

Quando trabalhamos e erramos, o mínimo que podemos fazer é oferecer um pedido de desculpas e corrigir o erro que cometemos; isso em qualquer trabalho, certo?

Em todos os empregos que tive, ao cometer o menor dos erros, me dirigi ao meu chefe, relatei o ocorrido e me desculpei… Ao falar com o cliente, pedi desculpas e corrigi meu erro. Em toda minha vida profissional, ao cometer um erro, me desculpei e corrigi… Não que fosse rotineiro, mas ainda assim pedia desculpas, além de me sentir mal.

Acredito que ao sermos assaltados ou sofrermos qualquer tipo de abuso nas ruas de qualquer cidade do mundo, deveríamos ser amparados pela polícia e ter um bom serviço prestado por eles, afinal de contas, são pagos para manterem a segurança e ordem pública. O governo em geral também tem a obrigação de manter uma polícia capacitada e motivada para realizar esta função… Mas será que é assim?

Esses dias eu estava revirando algumas coisas antigas e encontrei algo do qual havia esquecido há muito tempo. Encontrei os documentos de meu antigo carro: um Voyage 83 chamado Bender (Que os deuses dos carros o tenham).

Aí pensei: Apesar do Boletim de Ocorrência realizado em tempo hábil, meu carro nunca foi encontrado. Sei que bandidos são sagazes, ao menos boa parte deles, mas mesmo assim, nunca houve uma retratação, uma ligação… A impressão que dá hoje é de que ainda estou esperando a polícia completar este serviço que, cá entre nós, vem durando, acredito, uns oito anos.

Sei que é difícil encontrar um carro roubado quando não se tem seguro (quem dera esse fosse o único serviço mal prestado pela instituição), mas meu… E aquele pedido básico de desculpas?

Senhor, estamos lhe retornando para, infelizmente, comunicar que não encontramos seu veículo e pedir desculpas por isso, tentaremos ser mais perspicazes numa próxima ocasião (Que com certeza haverá)”.

Ok! Desculpas aceitas e vamos pra frente!

Ou o governo:

Olá senhor. Estamos ligando pra pedir desculpas por não pagarmos bem aos nossos policiais e desmotivá-los sempre que temos oportunidade. Trabalharemos para mudar este quadro (Que na verdade será permanente)”.

Ah… Vá se danar!

Nós, pobres mortais e dependentes de um governo imbecil e cada vez mais parcial, sempre temos que corrigir os erros de nosso trabalho, então qual a diferença deles para nós, exceto que estas pessoas têm o poder nas mãos? Mais um motivo para pedirem desculpas pelo trabalho de porco (e o animal não tem culpa), a cada carteira roubada, a cada loja assaltada, a cada carro roubado e, ainda mais… O mais importante de tudo… A cada vida tirada pela violência das cidades.

É importante salientar que não culpo os homens que trabalham na polícia, mas sim a instituição mal acostumada que arremessa seus “colaboradores” nas ruas sem qualquer incentivo e segurança para realizarem um bom trabalho.

É tardia essa reclamação; eu sei… O tempo de exigir desculpas já expirou faz tempo, mas meu pensamento é novo… Então acho que devia compartilhar aqui.

Caso não tenha gostado dessas palavras ou tenha encontrado demasiados erros ortográficos, peço desculpas por este texto. Trabalharei com mais afinco na próxima oportunidade.

Ósculos e amplexos à todos.