As melhores coisas do poço.

Quando você atinge o clímax da babaquice, o resto é dar risada! Tenho pra mim que a desgraça vira piada quando você chega ao extremo da idiotice! E, de fato, todos uma vez na vida acabamos sendo imbecis! E se você não foi ainda, aguarde… Vai ser!

Minha desgraça virou comédia e força! A gente precisa beber os últimos goles do barril pra pensar no quanto o vinho estava bom! E o vinho era bom demais! Envelhecido em flagelação e desprezo. Agora dou risada!

Uma vez a Graça, uma das melhores pessoas que conheci na vida, me deu um livro chamado “Ria da minha vida antes que eu ria da sua”, do autor Evandro A. Daolio. Hoje eu queria saber escrever como ele… Na verdade não como ele, mas com o humor dele! Isso! Com o humor dele, apenas.

Imagino que minha versão seria mais pesada, então o humor deveria ser muito maior pra suprir a caralhada de coisas que vivi e nunca contei pra ninguém… Nem amigos, nem ex-namoradas… A vida é uma comédia narrada pelo Rafael Bastos… Só pode!

Mas o importante é apenas rir de tudo…

Quando a gente faz idiotices, se tivermos um pouco de consciência, a gente passa de fase! Como num jogo de Videogame! Eu passei!

Queria amar mais as pessoas… Sim… Queria… Mas as pessoas têm o terrível defeito de serem humanas… E não é bacana ser humano.

E é por isso que a gente escreve! A gente escreve pelo motivo de ter algo pra rir. Pra não transparecer as frustrações! Mas as frustrações é a gente mesmo quem cria! Nunca nessa vida me relacionei com uma má pessoa! Acredito, de fato, que eu seja a má pessoa… Uma visão torta, romântica demais (ainda que o amor não exista, de fato), falhei muito em acreditar que as coisas seriam do meu jeito… Mas se quer peço desculpas por isso! Sou canceriano maldito com opiniões formadas sobre o mundo! Romântico, ainda que um grande filho da puta (sem minha mãe ter culpa, como diz meu amigo Piri)!

Quando se chega ao fundo do poço, vemos as pessoas estendendo as mãos… Aí olhamos pra baixo depois de erguidos, e rimos para a rasa poça d’agua… Rimos para nosso reflexo sujo… “Me empurraram pra cá, mas há pessoas que querem te tirar”. Aí rimos… E qualquer momento bom, depois do fundo, vira um momento de extrema alegria, por mais raso que seja. Um dia uma poça pode virar um grande lago… Um poço pode encharcar! Um sorriso pode virar uma risada… Quando se alcança o fundo do poço, qualquer coisa pode virar a melhor alegria da sua vida inteira!

Augusto dos Anjos.

Pegando palavras de Augusto dos Anjos:

 

“O amor, poeta, é como cana azeda,
A toda boca que não prova engana.”

 

“O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.”

 

“Falas de amor, e eu ouço tudo e calo!
O amor na humanidade é uma mentira.
É. E é por isto que na minha lira
De amores fúteis poucas vezes falo.”

 

“Para iludir a minha desgraça, estudo
Intimamente sei que não me iludo!”

 

“Escarrar de um abismo noutro abismo,
Mandando ao Céu o fumo de um cigarro,
Há mais filosofia neste escarro
Do que em toda a moral do cristianismo!”

 

“A esperança não murcha, ela não cansa, também como ela não sucumbe a crença.
Vão-se sonhos nas asas da descrença, voltam sonhos nas asas da esperança.”

O Barco.

Não havia muitas histórias para contar naquele barco que chacoalhava enjoativamente fazendo com que seus tripulantes vomitassem. Apenas o casal parecia se divertir, ainda que não falassem nada um com o outro, pois estavam fingindo estar tão irritados como as outras pessoas.

Ele conhecia ainda outras garotas que também não estavam enjoadas, que apenas fingiam. Mas dela, ele não sabia nada, mas acreditava que também tinha seus segredos à bom bordo do barco.

Volta e meia era possível se ouvir uma baleia com seu canto, mas quando a noite caia, as estrelas brilhavam no lindo céu noturno sem nuvens. Mas ninguém parecia aproveitar, exceto eles.

Não havia mais água depois de tanto tempo no mar; de modo que toda a tripulação matava a sede com vinho. “Os barris deveriam chegar até á frança, mas nós sabemos que não chegarão… Nem nós chegaremos”.

Ele observava o brilho da lua no suave balanço do mar. Observava as pessoas que vomitavam por todo o convés.

“Vomitam tudo aquilo que engoliram… Porquê as pessoas colocam pra fora o que consomem com tanta facilidade?”

Ele às vezes passava mal. Mas quando o liquido com pedaços do que comeu vinha à sua boca, ele segurava os lábios, mastigava e engolia novamente. Era a melhor forma de se vingar do alimento e da bebida que faziam mal a ele. “Não sairão daqui! Se fazem isso comigo, não lhes darei a liberdade apenas para que eu me sinta bem”.

Ele a observava dançar. Ela tinha um jeito carrancudo, mas fazia de tudo por ele. E ele nunca sabia se era de bom grado ou não, mas, de qualquer forma, ela fazia… Era apenas isso o que importava.

O mar balançava. Ele se sentia especial, assim como ela, por fingirem estar com enjôos junto aos outros; quando na verdade estavam felizes.

Mal sabiam eles que a tripulação inteira fingia.

Signos.

Os signos segundo eu.

 

Áries – Um bando de criança sem noção alguma de razão, mas que são bem legais se você concorda com eles.

Touro – Não se meta com eles. Um bando de cabeça dura egoísta sem noção alguma de mundo quando se trata de olhar para o que existe fora de si, mas são legais se você os deixa em paz.

Gêmeos – Fale com eles um dia sim e um dia não. Não deixe eles enjoarem de você. São legais em doses omeopáticas.

Câncer – Não prestam pra muita coisa se não deixar você com dó deles devido suas melancolias. São legais quando não estão manipulando alguém.

Leão – Cheios de si. Cheios de vaidade. Cheios de razão. São legais se parecerem com a Graça (coisa interna).

Virgem – Perfeccionistas demais, práticos demais, tediosos demais… São legais quando não querem parecer legais.

Libra – Irritantemente sociais. São legais quando não querem ser justos apenas porque alguém disse que eles são.

Escorpião – Intensos demais para uma noite de terça… Sem limites… Legais quando descem do palco.

Sagitário – Arrogantes e cheios de si! São legais (de se ver a briga) quando conversam com leoninos.

Capricórnio – Tão fofos… Tão fofos… Tão bobos… São legais quando não querem fazer social com o mundo inteiro.

Aquário – Legais o tempo todo… São legais quando não são legais.

Peixes – Depressivos tentando parecer felizes… Legais depois de tomar Diazepan.