Gente coisa.

Já tive muitos amigos e cada vez tenho menos. É uma questão de peneira.
Eu já acumulo papéis demais em minha casa. Acumular amizades que não servem mais, é como acumular lixo. Você coloca no sótão da casa guardado numa caixa, e sabe que aquilo não vai mais te servir pra nada, mas guarda pra de vez em quando abrir e ver o porquê que isolou aquele lixo num outro lugar.

Costumo dizer que algumas pessoas são coisas.

Sim. Não passam de coisas depois que você passa a conhecê-las melhor.

Quem nunca entrou num mercado e encontrou, depois de muito tempo, aquela pessoa da qual antigamente sempre andava junto? Mas depois de muito tempo, voltando ao mercado, a reação é virar no corredor das prateleiras e desaparecer com o intuito de que a pessoa nunca descubra que você esteve ali!

É a mágica do “eu não quero falar com você”. É o que chamam de “semi-conhecido”.

Ou de repente na plataforma do metrô. 7h da manhã, o mau humor desencadeado no sangue e você enxerga alguém que não gostaria de conversar. Você finge amarrar o cadarço do tênis, coloca os fones no ouvido rapidamente pra passar direto sem dar atenção. Em ultimo caso, quando a pessoa te nota, você finge não ter a visto e faz uma cara de “como sou burro” e atravessa para o outro lado da plataforma fingindo que estava indo para o lado errado.

Não é possível que eu seja o único a evitar pessoas.

Eu até mesmo já evitei grandes amigos nestas situações apenas por achar que eu tenho o direito de não querer falar nada com ninguém naquele determinado momento!

Não sou obrigado!

Tem dia que a gente não quer ver nem quem a gente gosta, quanto mais aqueles dos quais deixamos de gostar.

Tenho certeza também de que muitas pessoas já me evitaram, e não as culpo. Eu, se pudesse, me evitaria também! Sou o tédio em pessoa e finjo rir das piadas que me contam sem disfarçar o desgosto. Não. Não sou boa companhia quando estou azedo.

Tempos atrás saí na porrada com um conhecido. Fomos nos estapeando de dentro de casa até a praça além da esquina. Esbofeteamos-nos, e eu saí mais chateado que ele. Não porque estava perdendo um “colega”, mas sim porque, de tão bêbado que o colega estava, tive que deixar o cara me dar duas porradas pra acabar logo com aquilo e ir dormir. Claro que o imbecil ainda dormiu na minha casa, pois estava em péssimas condições pra ir embora pro próprio lar. Quem abrigaria uma pessoa da qual acabou de apanhar? Só eu mesmo!

Tempos depois a pessoa veio me perguntar se eu estava evitando-a. Respondi que não estava afim de vê-la. O camarada ficou chateado e disse não entender. Pra merda! Típica pessoa que bebe pra caralho e no fim das contas tenta fechar o copo com a tampa da garrafa… Aí é desastre na certa! Desejo-lhe que soque o dedinho na quina da cama!

Alguns outros amigos querem saber de tudo. Sabem da bolsa de valores, entendem de mulheres e ainda tem sapiência em tudo o que diz respeito sobre carros! AMIGO! Quem sabe tudo sobre carros, raramente reserva no cérebro um espaço pra entender de mulheres. Eu mesmo não sei nada sobre carros……. E nem sobre mulheres….

Existem aquelas pessoas que fazem de tudo por você, e não estou falando da mãe e nem da vó.

Aquelas pessoas prestativas demais. Aí você diz um dia sem nenhuma pretensão: “Vou indo nessa! Ainda preciso concertar o congelador”. Dá meia hora e a pessoa aparece com uma maleta de ferramentas pra te ajudar.

Pra merda também. Ajuda em demasia é um saco!

Pra depois vir falar que fizeram inúmeros favores, ou pior… Dizem que você não sabe fazer nada sozinho!

Pra merda também!

Tem também o que chamo de “Despesa Surpresa”. É o cara que você sai pra beber, e bem na hora de pagar a conta, você descobre que o filho da puta pagou a dele e a SUA!!!!

Dá vontade de gritar “Nããããoooooo”…

Acontece que esse cara cagou dinheiro nesse dia, e você sempre tem sua grana pra sua conta. Aí num outro dia o besta acha que, por dever, você tem que pagar a conta dele. Se não paga, aí ele fica chateado e você nunca mais o vê.

Bem… Tem essa vantagem de nunca mais o ver.

Desculpa se lhe pareço um tanto ingrato, mas detesto pessoas que vão de 8 à 80.

Não precisa ser desagradável e nem agradável demais. Não requer que um amigo meu saiba de tudo. Não me importo de limpar vômito desde que o bêbado não fique agressivo… E se for um semi-conhecido, não faço questão de falar com ele toda hora!

Esses são amigos.

Diferente de irmãos.

Mas estes são bem poucos e não carece de explicações.

Para todos os outros, deixo essa dica!

Ósculos e Amplexos!