3.0

 

Como me sinto?
Bem!
Essa seria uma verdade Universal se meus neurônios não estivessem quebrando o pau nos últimos dias.

Fazer 30 anos não deve ser ruim!

Não deve ser ruim para qualquer pessoa que não habite meu corpo e minha alma.

Nos últimos dias tenho visto pessoas, que não me conhecem direito, embasbacadas quando digo que mês que vem faço 30.

– Nossa, mas você parece bem mais novo!

– Tudo isso?

Imagina se eu fizesse a barba dignamente??

A frase que pegou foi:

– Mas se espírito é tão jovem!

Ai. Doeu! Eu queria ter um espírito mais velho!

Chego à casa dos 30 com acúmulos de fracassos e excessos de diversão! Eu sempre disse:

– Já vivi tudo o que tinha pra viver!

E de fato! Se eu morrer amanhã, não terei absolutamente nada para reclamar no sentido de “Aproveitei minha vida como se não houvesse amanhã”.

O saco é que não é bem assim!

Curtindo a vida adoidado, percebi que a vida não é apenas isso, pois acumulei diversões, pessoas que me admiram (ou admiravam), quilos de textos escritos, montanhas de conhecimento e… E AÍ!?

Preciso me comportar. Nunca liguei para o dinheiro. Falava com um amigo, Dorin Woodland, sobre como eu acho absurdo as pessoas escravizarem as próprias vidas por pedaços de papel… Ele, por sua vez, não queria crescer e se tornar adulto… É… Estávamos os dois errados.

Existe poesia nisso tudo, mas será que as pessoas querem poesias?

A poesia é linda de se ler, mas é detestável de se viver.

Disse pra uma amiga esses dias, “As mesmas coisas que fazem as pessoas se atraírem por mim, é o que as joga longe com o passar do tempo, as pessoas se assustam quando vêem tudo de perto”.

Eu só não queria que o mundo fosse cinza pra mim. Mas não tenho como fugir.

Hoje passo e penso sobre como construí minha vida em cima de meus objetivos que, se quer, eram palpáveis…

Me avisem quando a poesia voltar.

Avisem-me quando, não quiser ser velho (de mente), deixar de ser um obstáculo!

Digam para mim quando o mundo se tornar o que realmente deveria ser!

Por isso eu leio (muito)! Por isso eu me desgasto. Por isso eu brigo.

Por isso me dou mal!

Hoje trabalho numa área que busquei. Sonhei e alcancei. Divirto-me trabalhando. Mas o processo de sonhar e conseguir é lento, lento demais num mundo onde as pessoas estão na roda dos ratos…

Eu sinto muito, poesia.

Sinto muito, arte, por você também…

O sistema me venceu.

Está na hora de crescer de vez.

Eu sinto muito.

Anúncios

Angra dos Reis pra mim!

http://www.youtube.com/watch?v=khcbLyNStqo

Deixa, se fosse sempre assim
Quente, deita aqui perto de mim
Tem dias, que tudo está em paz
E agora os dias são iguais..

Nesses tempos os dias estão iguais. Sempre a mesma coisa se comparado quando tudo era quente, quando eu deitava contente. Agora está tudo monótono e chato.

Se fosse só sentir saudade
Mas tem sempre algo mais
Seja como for

Não é só sentir saudades. Não é só a saudade.
É uma dor que dói no peito

E se fosse só saudade, seja como for, dói do mesmo jeito.
Pode rir agora
Que estou sozinho
Mas não venha me roubar…

Nunca diga ou faça suposições de meus sentimentos, só eu sei o que jaz dentro de mim.

Vamos brincar perto da usina
Deixa pra lá
A Angra é dos Reis
Por que se explicar
Se não existe perigo…

Porque ir pra longe e ter que ficar com medo de sentimentos e das coisas que acontecem? Não é necessário explicações quando tudo vai bem. Não é necessário sentir medo por um desequilíbrio de sentimentos. Tudo vem com o tempo. Sem pressa. E se não acontecer nada, tudo bem. “A Angra é dos reis”.

Senti teu coração perfeito
Batendo à toa e isso dói

Não sei se seu coração é perfeito, mas dói saber que estava batendo à toa.
Seja como for
É uma dor que dói no peito
Pode rir agora
Que estou sozinho
Mas não venha me roubar
Uh! Uh! Uh! Uh!…

Vai ver que não é nada disso (Faço várias suposições e espero uma explicação plausível pra isso tudo).
Vai ver que já não sei quem sou (Eu me estranho com esses sentimentos)
Vai ver que nunca fui o mesmo (Não como hoje!).
A culpa é toda sua e nunca foi… (hahahaha, essa é foda… Eu queria que a culpa fosse sua, mas nunca foi, e isso me deixa puto!)

Mesmo se as estrelas
Começassem a cair
A luz queimasse tudo ao redor
E fosse o fim chegando cedo
Você visse o nosso corpo
Em chamas!

Ainda que isso acontecesse, seria nos teus braços o local para aonde eu procuraria um recanto.Mas…
Deixa, pra lá…

…deixa pra lá.

Quando as estrelas
Começarem a cair
Me diz, me diz
Pr’onde é
Que a gente vai fugir?

Pra onde?

Eu queria saber como se faz…

É estranho não conseguir desabafar.
Você gostaria de conversar com alguém, dizer o que anda errado, mas simplesmente não consegue procurar por ninguém.

Eu já estou tão condicionado a escrever, que mal consigo conversar com as pessoas sobre as coisas quando não vão bem.

Acho que escrever te mantém Conge de críticas diretas; longe da voz que vai dizer aquele nome por longos e frustrantes minutos… Eu já não consigo desabafar por livre e espontânea vontade.

Na verdade eu nem consigo escrever direito. Tenho medo de passar por aquela figurinha cheia de auto piedade. Por pior que seja a queda.

Queda.

Venho colecionando umas ao longo do tempo. Mas existem umas que são difíceis.

Eu sou uma pessoa diferente… Sou complicado… Bagunceiro… Um palhaço bi-polar. Um palhaço que custa fazer a ficha cair depois da queda.
Vontade de chorar, mas a lágrima não escorre… Ela forma uma parede de muco por dentro do rosto que desce até a garganta causando uma dor. A dor dos que não choram com facilidade. Aquela dor de sufocar a saída de uma outra dor.

Ah. Não me importa.

Foram dias maravilhosos… Dias de uma vida que não podem ser para o tipo de pessoa que sou. Mas amei cada segundo desses dias. Amei acordar, amei ir dormir. Amei a vidinha de uns meses pra cá.

Foram os dias em que aprendi a ser gente. Fazer coisas das quais eu julgava que eram legais. Foram dias interessantes, aliás… Infelizmente não deu tempo de fazer tudo.

Eu ri no exato momento em que escrevo essa parte. As lágrimas saíram, finalmente. Chorei por lembrar-me da Batata Suíça. A Batata que não aconteceu…

Eu não tenho a capacidade de segurar dias como esses que se passaram. Mas não me lamento. Vou guardá-los. Estão registrados.

Os dias bons vão sempre estar naqueles que conseguem fazer com que dêem certo. Eu vou poder ver isso nos olhos dessas pessoas. O restaurante vai sempre estar lá! A batata também…

Pelos deuses… Eu queria saber como se faz.