Veste uma roupa, menina!

– Que é que foi?

– Ah, meu! Você nem me ligou mais… Está há meses sem se quer falar comigo… O que está acontecendo?

– Você podia vestir alguma coisa pra vir falar comigo, não é?

– Não muda de assunto… O que ta acontecendo que nem me deu mais atenção?

– Ué, nada… Sua história já acabou, ando fazendo outras.

– Nossa, que grosso…

– Luana, veste isso e senta aqui do meu lado.

– Hum.

– Não posso passar a vida inteira pensando em você. Já escrevi tudo o que eu podia… Tenho alguns planos futuros pra você, mas só lá na frente. Não adianta você ficar fazendo drama e me pressionando.

– Então não acabou pra mim?

– Não.

– Vou ter um fim feliz então, é isso?!

– Não sei se vai ser feliz, mas pode ter certeza que ter um filho do seu pai não é seu fim.

– Jura mesmo? Jura jurandinho?

– Juro.

– Valeu… Posso dormir com você hoje?

– Pode, meu amor… Claro que pode.

– Valeu.

GOL.

Porque eu grito Gol?

Futebol é, sem dúvida, uma de minhas paixões.

Quando mais moleque, aos 22, 23 anos, eu não costumava acompanhar as partidas, porque na época andava com pessoas que se denominavam “nerds”, então, para que eu pudesse ter um lugar na vida social, assistia escondido aos jogos de meu time. Não era uma questão de menos amor ao clube que torço, mas sim porque eu não queria ser rejeitado simplesmente por gostar de futebol.

Na verdade vejo em várias partes protestos sobre o brasileiro gostar mais de futebol do que se importa com política; em partes acho que estas pessoas têm razão, mas apenas em partes.

Veja bem. Sou brasileiro e acompanho a política do país. Já fui em protestos e quase tomei cacetada de policial… Vi que não adianta nada essas coisas hoje em dia. Os jovens acham lindo essa coisa de fechar a Avenida Paulista, a via mais importante do país, e gritar feito loucos por algo que não vai dar em nada.

Lembro-me dos protestos em relação ao ex-presidente Fernando Collor de Mello… Só funcionou porque a mídia quis que funcionasse… Infelizmente as coisas são assim… O brasileiro grita demais, só que no dia seguinte está lá acordando às seis horas da manhã e pegando o metrô abarrotado mais uma vez… Por isso sou a favor de uma greve civil. Mas o brasileiro não tem colhões.

Aí me dizem… “Você grita gol enquanto a política tá uma merda”… Pra essas pessoas eu respondo o seguinte:

Faço o que posso pelo meu país. Não jogo sujeira em via pública, não faço gambiarras para roubar energia elétrica ou tv a cabo, se me dão troco a mais, volto e devolvo o que não é meu, não dou dinheiro a mendigos, mas ofereço comida, ajudo uma pessoa que cai na rua ao invés de dar risada, não compro de cambistas, não pago mais caro em algo que eu sei que deveria ser mais barato, não uso a língua inglesa em coisas que posso falar em português, não venero outros países mais do que o meu próprio, não troco nossos índios pelo “progresso” nacional, sou completamente a favor no socialismo, não destruo patrimônio público, amo escritores nacionais, adoro o cinema brasileiro, acho uma tremenda imbecilidade ser contra nordestinos, e por aí vai…

Com tudo isso, você ainda reclama por eu, em noventa minutos de diversão, gritar gol?

Desculpa, mas o futebol também é um patrimônio brasileiro. Eu sei que o esporte é inglês, mas já que lá fora dizem que a Amazônia é deles, então eu digo que o futebol é nosso.

 

Ósculos e amplexos.  

 

Aborto.

É muito difícil agradar a todos, ainda mais quando os brasileiros não entendem o que aprovam ou o que deixam de aprovar, falta para as pessoas, cidadãos brasileiros, lerem mais e entenderem o que é proposto.

Tem muita gente se comportando como se a lei que aprova o aborto de bebes anencéfalos valesse para qualquer tipo de criancinhas. Mas não é isso.

É única e exclusivamente para anencéfalos, e na verdade a lei nem foi aprovada, mas está a um passo de ser, segundo o site da Globo.com.

Se a lei for aprovada, fica a critério de qualquer um querer realizar o aborto, ou não. Mas algumas pessoas que são contra, querem fazer com que as pessoas que são a favor se calem e engulam uma proibição que, em muitas vezes, pode até colocar em risco a mãe da criança.

Um bebe anencéfalo nasce sem o cérebro, ou seja, apesar de ainda ser uma vida, seria também uma espécie de condenação. Claro, todos somos a favor da vida, mas é importante que todos tenhamos uma vida inteiramente saudável ou até mesmo parcialmente.

Uma criança anencéfala não é a mesma coisa que uma com síndrome de down, ou um autista. Infelizmente não. Desta forma acho cabível que cada um escolha não apenas o destino da criança, mas também o seu próprio.

Existem pessoas que têm a coragem de enfrentar tal abismo, tal injustiça da natureza, ou do divino, como preferirem, mas outras pessoas não possuem tal coragem, ou na verdade possuem uma tremenda coragem em abdicar de um filho em prol do seu bem estar e também da criança.

Não creio que seja um egoísmo, não mesmo.

Dou o maior respeito para as pessoas que enfrentam essa barreira em suas vidas, mas também temos que respeitar aqueles que sofrem em acabar com uma vida que seria inerte.

É uma difícil decisão, e por isso deve ser opcional. Devemos mudar algumas coisas em nossa cultura, dar mais liberdade de escolha.

E repito. Essa lei que está quase sendo aprovada, não vale para todos os casos, é apenas para um caso específico. Não pensem que se vadiarem e engravidarem, poderão abortar e tudo bem… Para estes existem os preservativos, métodos anticoncepcionais, pílula do dia seguinte e até mesmo o celibato, que seja.

Não digam que seu país está se tornando um assassino… Não é verdade… Ele está dando um direito que, quem sabe até mesmo você que é contra, pode usufruir futuramente.

O Brasil não é lá aquelas coisas, mas ainda pode ser o país do futuro.

Ósculos e Amplexos.

… Hermano……………

Acho que me sinto bem a vontade pra falar disso agora, meu caro.

Vamos começar… Você é um grande otário! E um dia escreverei sobre você.

Você é ridículo, tipo um parasita!

Mais de vinte anos e eu estava com um parasita… Não… Na verdade era uma simbiose.

Sim, você é um maldito simbionte.

Mas saiba, mais do que um rosto ferido e um coração partido, eu tenho meu bom senso.

Aproveite-se de meu sangue em sua camisa.

Aproveite-se de suas desculpas e de uma acusação infundada.

VOCÊ ESTÁ ERRADO, SEU PUTO.

Só que ao contrário das outras vezes, hoje eu acho que você tem uma coisa mais do que eu… Que saber o que você tem mais do que eu?

Você tem mais é que se foder!

Você destruí minha relação familiar. Você brotou um inferno!!! E como eu poderia imaginar?

Sua acusação infundada, sem motivo… Eu não tenho culpa de suas paixões platônicas.

Mas você me feriu, e acredite, meu sangue foi o de menos… O pior é sua acusação ridícula.

Não tenho culpa se você é frustrado, não mesmo!

Irmãos brigam, sim… Brigam mesmo! Com palavras… Mas nunca acertando pelas costas, covarde.

Fique com suas frustrações.

E sinceramente.

Vá se foder. Gastei muitos anos de minha vida te abraçando quando você chorava… Agora chega.

Não me peça desculpas… Desculpe-se você mesmo quando olhar para meu rosto e ver a marca que você deixou.

 

Ósculos e amplexos?

Hoje não…

Apenas um “te desculpo” e um vai se foder, frustrado.

Boomerang Blues

Boomerang Blues

Tudo o que você faz

Um dia volta pra você
Tudo o que você faz
Um dia volta pra você
E se você fizer o mal
Com o mal mais tarde você vai ter de viver

Não me entregue o seu ódio
Sua crise existencial
Preliminares não me atingem
O que interessa é o final
E não me venha com problemas
Sinta sozinho o seu mal

Por que tentar sentir demais?
E você só me usou
Eu tentava ajudar
E você só me queimou
Mas é errando que se aprende
Minha boa vontade se esgotou

Os aborígenes na Austrália
Com o boomerang vão caçar
O boomerang vai e volta
E só fica quando consegue acertar
E eu sou como um boomerang
Quando eu acerto é pra matar

Como um boomerang tudo vai voltar
E a ferida que você me fez é em você que vai sangrar
Eu tenho cicatrizes
Mas eu não me importo não
Melhor do que a sua ferida aberta
E o sangue ruim do seu coração

Eu só não entendo como fui cair
Dentro da sua teia e não tentei fugir
Me sinto mal lembrando o que aconteceu
Você tentou roubar
Mas o boomerang agora é meu.

Só não entendo como eu fui cair
Dentro da sua teia e não tentei fugir
Me sinto mal lembrando o que aconteceu
Você tentou roubar, mas o boomerang
Agora é meu

– Renato Russo

Lixos na gaveta

As gavetas de minha escrivaninha estão cheias de romantismo, mas não cabe mais paciência alguma. Talvez pela falta de espaço, quem sabe pela falta de organização… Mas simplesmente não cabe mais porra nenhuma.

Não tenho mais paciência pra todo o romantismo que guardo aqui. Aí tem umas papeladas que nem penso em colocar, olho pra elas e penso: “Amor, calma ae… Se a paciência não cabe aqui, você não vai caber… Fora que você nem é prioridade”.

O amor é demasiadamente espaçoso e difícil de se organizar, então deixo ele espalhado pelo chão e diversas vezes piso nele. Tem marcas do meu tênis nessa papelada toda… Uma vez tive que jogar uma dessas folhas fora depois de ter pisado na merda do cachorro e pisoteado aquele A3 infeliz largado pelo caminho.

Ah! Mas eu nem ligo.

O amor merece estar lá pela burocracia absurda que ele exige. Deixe-o pelo chão, é o melhor a fazer.

A paixão?

Ah… Essa sim fica guardada em outra gaveta. Uma bem mais organizada. Junto com a garrafa de vodka e uma long de Stella Artois.

Não sinto nenhuma falta do frio na barriga. Deixe minha barriga em paz… Sem envolvimentos dessa vez, sem abrir aquela gaveta organizada… Tenho que me preocupar com a paciência que não cabe em lugar algum.

Tentei organizá-la junto aos livros, mas ela pesava e os livros caiam; e sinceramente, prefiro meus livros. Coloquei ela aonde a cachorra dorme, mas sobrou pouco espaço pro animal. Tirei-a de lá e deixei no chão, junto com os calhamaços do amor.

Penso que devo me desfazer disso. Mandar pra reciclagem. Lá sim vão aproveitar muito melhor isso do que eu poderia fazer, afinal, pra quem guarda tanto lixo, é normal se desfazer de tantos outros.

Ego

Não importa o que as pessoas dizem por aí, sempre acho que o que eu tenho pra dizer é sempre mais interessante e verdadeiro. E nem me importo que achem isso orgulho demais. Não mesmo.

Eu não falo verdades, mas esbravejo sobre mim, adoro isso, e é exatamente por isso que sei que sou mais verdadeiro.

Não me importo com política, preconceitos ou agressões. As notícias me enjoam…  O Datena me dá náuseas.

Gosto de falar de mim, se ninguém infla meu Ego, deixe que eu mesmo faça, nem preciso de ninguém pra isso. Não me importo com nada enquanto meu copo de vodca não estiver vazio, e olha que sou pessimista, se ele estiver pela metade, pra mim ta meio vazio.

Mantenha meu copo cheio e vejam o que tenho pra falar de mim mesmo. E não, não me fale de você, deixe que eu lhe fale sobre meu dia bom, e não esqueça de me trazer aquele maço de cigarros.

A auto-destruição é uma benção pra quem tem coragem de praticá-la. Ela amacia a alma e nos dá boas histórias pra contar.

Boas histórias.

Bebedeiras; acordar com desconhecidas na cama; não saber como a carteira foi perdida e nem o que aconteceu com os 300 mangos que estavam no bolso.

Por Odin, já gastei 300 mangos numa noite na augusta… Não que seja muito pra algumas pessoas, mas quando se gasta apenas com cerveja, bilhar e meninas dançando, acho que é muito… Ou pouco… Não decidi sobre isso ainda porque a diversão foi boa, mas não é nada agradável acordar no dia seguinte e ver que isso foi gasto em questão de quatro horas, não mesmo.

Mas a minha diversão é o que conta… E também tudo o que vou poder contar… E nada do que você pensa ou o que se divertiu com isso, pois aqui só conta o que eu tenho pra falar.

Perdoem-me esse egoísmo todo, mas todo mundo precisa de seus 15 minutinhos de egoísmo para ser feliz.

Ósculos e Amplexos.