Estatística de 2011.

Pois é.

Já que o sono não chega, não há ninguém no Facebook e nem no MSN que mereça conversa, resolvi atualizar essa joça, assim me sinto conversando com alguém! (Meu blog é mais interessante que muita gente por aí).

Só que acontece que eu não tenho assunto nenhum, então, como estamos próximos do fim do ano, resolvi colocar as estatísticas do Dulce Far Niente (Até hoje ainda nãop descobri se é válido escrever “Dulce”, mas foda-se).

Esse ano o Blog esteve bem fraquinho, confesso, mas foi um ano de mudanças extremas na minha vida, de Janeiro até agora, não pára de rodopiar! Coisas extremamente idiotas aconteceram, e coisas muito, mas muito felizes também ocorreram! Mas se eu pudesse colocar tudo numa balança, diria que as coisas só começaram a dar certo mesmo do fim de outubro pra cá!

Bom, dane-se. Não estou aqui pra falar de mim, vamos ao blog.

O blog existe desde 25.07.2008, por isso que, algumas vezes, me referi a ele como “O blog Leonino”.

E se pararem pra ver, ele realmente é de leão. Sempre cheio de si, orgulhoso e adora ter o ego inflado! Meu blog é assim! Qualquer dia vou ter a pachorra de fazer o mapa astral dele, pois por mais que não passe de um mero espaço de asneiras, ele fez eu criar muitas coisas importantes, conheci gente legal por causa dele e aprendi que, não importa o que você diga, as pessoas sempre vão levar tudo a sério.

Desde sua criação, ele obteve 73.277 visitas. É pouco, mas me orgulho desse número tendo em vista que não há nada de interessante por aqui!

De um ano e meio pra cá, todos os meses tenho mais de 2.000 visitas! Não é fantástico? Dá até pra rolar propagandas!

As médias de 2008 pra cá são as seguintes:

2008 – Média de 19 pessoas por dia.

2009 – 44 pessoas por dia

2010 – 59 por dia

2011 – 100 pessoas por dia!

Em 2011 houve um crescimento bacana, e olha que em 2010 eu postava coisas bem mais legais!

Cacetada. 3 anos de blog! Isso me faz lembrar algo…

Ta chato, eu sei, mas continua lendo que mais pra frente tem o Ranking das pessoas que mais comentaram no blog e meus créditos aos freqüentadores assíduos, que já nem são mais tão assíduos assim rs!

Bom, continuando. O mês de pico do blog foi em Maio de 2011 com 4.685 visitas! 39 vezes mais visitas que no mês de estréia do blog, lá em 2008.

Fora este, eu escrevi 446 artigos.

Foram 1.036 comentários, tirando minhas respostas que são bem raras.

Vamos então para o Ranking de maiores comentaristas do blog?

1º (Não esperava outra coisa) – Gracinha com 137 comentários até hoje!

2º – Tarjha com 122.

3º Elda,86.

4º – Gláucia, 69 (que decepção).

5º Nessa, 63.

6º Keilla, 45.

São as pessoas que mais comentam aqui no Dulce. Ninguém ganha nada com isso, mas é legal!

Pior que não tem um macho na lista!!!! Na verdade até que é bom (rs).

Agora pra finalizar o post, vou deixar créditos para algumas pessoas!

Gracinha: Te amo muito! Lembro que apenas por alguns posts você já sabia como estava meu estado de espírito e sempre se preocupava em perguntar depois. Ta mais que na hora de atualizar seu blog!!!

Elda: Você sabe que um pedaço do meu coração é seu, mas se quiser pode ficar com o rim esquerdo que não funciona muito bem, mas tenho certeza que você cuidaria dele pra mim!!!! Te gosto muito, de verdade!

Michelle (Keysha) – Não comenta muito, mas todo santo dia nos falamos por inúmeras horas. Foi a coisa mais legal que meu blog, por tabela, me trouxe! É a coisa mais intensa.

Gláucia: Vai se foder! E parabéns pelo filhote que vai vir, mas ainda assim, vai se fuder!

A Keilla, a Tarjha e a Juloka estão com um blog sentimentalista infantil. Somos mães, somos mulheres. Deve ter o link aí do lado!!! Bem recomendado para mamães de primeira viagem.

Carolina Marchi, vulgo “MJ”, “MH”…, que só comenta em boas épocas… Vai se foder você também!

Acho que é só. Bom. Tenho certeza que é só… Faltou a Nessa, mas essa é uma relapsa completa!!! Meu ódio pra você!

Ah. Tem a Karina e o Davison que não entram, mas eu sempre leio meus posts pra eles!

***

Foram três anos de blog e espero que venham muito mais pela frente… Acho que estou num espírito diferente, podem esperar mais posts meus, mas talvez não haja tanta tristeza! Mas o importante é que o show não pode parar!

À vocês todos citados eu sorvo neste momento um gole de vodka, é sério! Obrigado!

Amanhã estou de viagem e, como não sei nadar, pode ser que eu morra! Rs

Amo vocês, uns mais que os outros, mas amo a todos.

Boa sexta-feira, pessoal!

Ósculos e Amplexos!

PostScriptum: Não tô com pique de revisar essa merda, então dane-se se foram erros de português.

Anúncios

Enrolando o tempo.

A fumaça do cigarro rodopiou e, após o trago, subiu até a lâmpada amarelada.

Ela enrolou preguiçosamente observando o lustre, o formato dos cacos de vidro que o enfeitavam, e ali, parecendo pendurada, a lâmpada.

Muitas coisas ficariam melhores ali naquele lugar; mas faltava-lhe a coragem de enfeitar ainda mais aquele lustre.

Olhou para a garrafa de vodca que ainda estava pela metade. Metade cheia, metade vazia…

E ela enrolou e enrolou. Apenas parava de enrolar nos períodos entre tragos no cigarro e uma sorvida de bebida.

O teto lhe pareceu inalcançável, mas o banco poderia resolver o caso. Só que sua fobia de altura impedia que subisse.

Ela então, descalça, foi até a vitrola e a desligou com um belo soco que fez o aparelho desabar no chão. Nick Drake não! Não, ela não queria mais lembrar da história de homens fracassados que apenas conseguiram o sucesso depois de um suicídio!

Chega. Não haveria mais suicídios!

Olhou para o aparelho telefônico e resolveu consultar a secretária eletrônica!

Nada de mensagens. Nada de parentes querendo saber sobre ela… Não havia amores, não havia nem mesmo inimigos desejando sua morte. Não havia nada.

Que falta lhe fazia um inimigo, alguém que, ao menos de vez em quando, pensasse nela. Qualquer coisa era válida para sua infortunada vida.

Pensou naquele momento que um cão poderia lhe fazer bem, mas será que ela faria bem ao animal?

Desistiu e acendeu outro cigarro.

Ela enrolou… Sentou na cadeira e enrolou o que faltava.

Era preciso coragem. Dizem que é o contrário, mas a covardia e a fobia que faziam ela enrolar. Bebeu mais um pouco e a vida lhe pareceu mais feliz.

Quem precisaria da porra de uma família? Quem precisava de amigos ou inimigos?

Com sua covardia ela enrolou e terminou. Por fim olhou para o lustre. É, ele nem se quer agüentaria seu peso.

Assim que acabou de enrolar, guardou a corda e foi dormir.

Eis que já não sou o mesmo! Uma vontade de escrever com uma felicidade me rondando! Pra quem apenas escrevia só quando estava em situações ruins, isso é uma grande evolução!

Talvez a vida, Deus, a natureza, ou seja lá o que deve levar créditos por isso, deva ter olhado para este velho carrancudo e ter dito: “Vamos dar a ultima chance desse otário ser feliz!”.

Pois é!

Sinto-me feliz, sinto-me pleno! Em partes até completo!

Pode ser uma brincadeira de mal gosto?

Claro que pode!

Mas me sinto feliz e arrancarei o que for possível dessa brincadeira.

A Luana sorri ao meu lado.

Shyenkss bate em meu ombro!

O grande, meu mestre, Cézar Pazzini suspira de orgulho aqui sentado no chão!

Willie ainda pensa em fazer alguma travessura!

Meus personagens estão eufóricos assim como eu!

A vida parece me sorrir e esperar duas semanas para dar uma grande gargalhada de satisfação!

Minhas Letras já não importam mais! Mas a forma em que eu escrevo será adornada por formas jamais vistas saindo de minhas mãos!

Ah, quem sabe o amor realmente exista!?

Ah, quem sabe a concordância gramatical seja uma completa idiotice?

E que saber? Lixo-me pra isso!

Estou bem, e pode ser só por hoje, mas me sinto feliz! E quem sabe não seja pra sempre?

Desculpem-me vocês que sempre foram acostumados com minhas lamúrias, minhas tristezas! Perdoem este blog por, pela primeira vez, ter dado espaço a um momento de uma embriagues não alcoólica, mas sim de felicidade pura e plena! Um momento de uma verdadeira sinceridade.

Perdoem-me, de coração, mas devo dizer… Hoje estou feliz. Pode ser só por hoje, mas pode durar 3 décadas! Mas eu também tenho direito, né?

 Mil ósculos e mil amplexos.

Daqui da janela eu posso ver o parque.

Tá, eu sei. Tá uma puta chuva lá fora! São Paulo é fóda!

Acende o cigarro e cala essa boca! Você ainda tem 19 deles em seu maço. Ah, e não esquece de terminar a vodca que colocou no copo. Desperdiçar essas coisas é pecado, Deus poderá te queimar. Ah, por falar em queimar, não esqueça também de mandar embora aquela puta que ainda ta dormindo na sua cama, e coloque os lençóis na lixeira… E por favor, me diga que você lavou as mãos!

Aquele homem aleijado deixou algumas flores para você aqui de manhã, disse obrigado por tudo o que você disse pra ele, não entendi nada, mas não vou me meter na vida alheia, você deve ter entendido o recado.

Vou para o parque, e foda-se a louça que tem pra lavar! E dane-se a chuva também!

Ah, sua filha ligou hoje! Disse que não poderá vir te visitar, pois vai para a casa do namorado e vai dormir lá, certamente você sabe muito bem o que vai acontecer, não é? Não venha chorar se essa menina engravidar, mas de qualquer forma você nunca se importou mesmo, e não vai ser agora que você vai ligar…

Você está me ouvindo?

Olha pra mim!

Pergunto-me como eu pude me casar com você!

Ah, pro inferno você! Eu nunca te amei. Nunca mesmo. Nem um pouco.

Daqui da janela to indo pro parque! Adeus.