O Refúgio dos Charros.

Olá!

Finalmente finalizei, de acordo com o prometido, o “Refúgio dos Anjos”. Desde que voltei de viagem, me desembestei a escrever. Da metade da história, onde eu havia estagnado, para o fim, foram necessários três dias de intensa digitação. Eu vomitava as idéias e o rumo da história tomou um caminho que nem mesmo eu esperava. O texto, para minha alegria, ficou grande e apenas com as coisas necessárias. Ainda falta eu passar pela fase de “encher lingüiça” <- Eu amo tremas (¨) e me recuso a parar de usá-las.

A Luaninha, que resolveu ir viajar também e ainda não voltou, que me perdoe, mas terminar o “Refúgio dos Anjos” foi a coisa mais satisfatória que já senti… Melhor que a melhor trepada que já dei! Sabe quando termina algo com a sensação de que ficou ótimo? Foi o que senti. Ao terminar eu enchi um copo de vinho e bati palmas pra mim mesmo, sem brincadeira. Ficou exatamente da forma como eu imaginei e como eu queria. Pra mim está bom, agora se pra quem ler não estiver, paciência. Eu sinto que está bom… E como uma Agente Literária já me disse, “O primeiro a ter que ficar satisfeito com a obra é o próprio escritor”.

O Refúgio é uma narrativa sobre o comportamento social e sobre o que é o amor. De uma forma subliminar, tenta expor críticas sobre estes assuntos apoiando-se em alguns jovens incomuns: Thomas, um funcionário de uma editora. Todos gostam de Thomas, um exemplo de bom menino; Letícia, uma ruiva de olhos azuis que trabalha na mesma editora de Thomas como revisora de ilustrações; O obeso Osvaldo que escorrega o dia inteiro pelo sofá assistindo seus programas favoritos; Rebeca, minha linda e doce Rebeca. A mocinha mais lindinha da história… A mais sacana também… O caçador de segredos, Adalberto e, o não menos importante, o saudoso escritor Cézar de Campos Pazzini.

A idéia inicial deste livro seria fazer um romance Fix-Up, mas as histórias se interligaram tanto que não houve como… Foi impossível.

Tirando a introdução e o desfecho, a obra é dividida em 13 partes, e todos os personagens têm seus devidos desfechos, e provavelmente não será indicado para menores de 18.

É uma história com um leve teor de Realismo Fantástico, mas muito leve mesmo… Não tem dragões e nem fadas, isso eu adianto… É leve a fantasia nele.

Bem… Bastaria falar de amor para qualquer obra ser realismo fantástico (entenderam, entenderam?? Eim, eim?).

É isso aí! A pior parte já foi, agora é “passar a massa corrida e fazer as texturas” para que o texto fique apresentável… Quem sabe ainda esse ano… Quem sabe…

Sinto-me feliz a beça! Primeira vez que termino uma obra sabendo que ficou exatamente, e até melhor do que imaginei. Luana que me perdoe e todos os outros, mas felizes são os personagens do Refúgio dos Anjos! (Bom, nem todos hauahahuaha).

Vou parar antes que eu acabe contando a história de tanta empolgação!

Ósculos nas bochechas e amplexos apertados!

São Thomé das Letras – O FIM./ Resumão.

Infelizmente, minha câmera não registrou 10% dos momentos deliciosos em MG, mas paciência… Comprar porcaria dá nessas!

Em MG até o desgosto deu lugar a gargalhadas sem fim!

Tentarei resumir tudo ao máximo!

Quarta-Feira e quinta: BH.
Como dito antes, descemos em BH e conhecemos aquela cidade barulhenta e agitada! Tem uma caipirinha style que solta fumaça. Eles colocam gelo seco!! O máximo!
Fomos num tal de “sobe-desce” que eu nem vou comentar… Indicaram, fomos e quando chegamos lá tomamos um susto com tudo o que vimos!

Em BH, certamente, foi aonde gastamos mais dinheiro! Caro as coisas por lá, e acordar com aquela barulheira enorme, e aquela maldita gritando “Fooooooooto, foto na hora!”, não foi muito legal, mas valeu a pena!

Diálogo marcante!
No hotel:
-Moça, eu gostaria de dois Omeletes!
– Uai!!!!!! Dois???? Mas vai demorar por demais, terei que fazer um, te levar e depois fazer outro.
– Então um omelete e um misto quente, pode ser?
– Aí pode. Vai ser rapidim…
– Obrigado. ¬¬

CONTRAS: Barulho excessivo e falta de organização (isso no centro da cidade).
PRÓS: Agitação, bares legais e uma gama enorme de gente bonita.
NOTA: 5,5

Sexta-Feira LAVRAS (Larvas).
– Moça, gostaria de um quarto de solteiro duplo.
Algumas burocracias depois…
– Moça, tem wireless no quarto?
– Humm, não, mas tem internet sem fio!
-Caralho, mas dá na mesma!!!! Aí é foda!! AAAARRRGGGG (Não, eu não disse, só pensei).
– Ah, serve… Obrigado, moça!

Isso sem contar que pra usar a internet, tive que ir pro banheiro…
***
Em meio a uma caminhada depois do Hotel…

– Moça, aonde tem algum lugar aqui pra se divertir, sair à noite…?
– Shi, moço! Aqui de sexta não tem nada, só de  sábado!

E de fato, lá só funciona de sábado. Rodamos a cidade inteira até chegar em um tal de Paddok perto da UFLA, mas ia ter pagode no dia. Desanimamos um pouco. Mas já que estávamos lá… Acontece que descobrimos que os universitários de lá não gostam de pagode (um ponto pra Lavras), e por isso aquele dia seria vazio.

Apenas coube a nós voltar pro Hotel e dormir esperando pelo Sábado em São Thomé das Letras.

Diálogo marcante:
Depois de descer da rodoviária…
– Moço, aqui é muito longe do centro?
– Shii. É um bucadin demorado. Melhorrrr pegarrrr o ônibus.

Depois de cinco minutos subindo a rua na lateral da rodoviária procurando um ponto de ônibus, chegamos ao centro da cidade.

CONTRAS: Tudo
PRÓS: Ser possível ir embora de lá rapidamente, e também a possibilidade de indicá-la aos seus desafetos.
NOTA: 0,1

Obs.: Pularei Três Corações pela rápida passagem, mas me fez bem aos olhos.

Sábado, domingo, segunda e terça-feira . SÃO THOMÉ DAS LETRAS, A TERRA DOS MICRÓBIOS!
O que dizer? O que dizer de uma das cidades mais fantásticas em que já estive? É lamentável não ter registrado uma foto de lá.
A cidade é extremamente alta, em cima duma montanha. E de cima dessa montanha você tem uma visão de 360º do horizonte.

Foi chegar na cidade e babar. Gente educada e sem frescura. Os malucos andando pela rua e cumprimentando. Os jovens vêm até você para conversar e curtir, principalmente de madrugada quando todos estão bêbados!
Conhecemos também muitos comerciantes e lugares cheios de lendas, entre eles o que eu mais estava ansioso: a Pirâmide, que reza a lenda que, até hoje, ninguém sabe como foi parar lá e nem quem a fez (Vide o Diálogo marcante).

Nota dez para o Barzinho dos rippies. Um cubículo perto do parque onde os malucos ficam lá sentados bebendo uma cerveja, fumando cigarros e um cara tocando violão! E pior que eu esperava encontrar uma gente feia pra danar, mas tanto os meninos e meninas desse “movimento” são muito bonitos. Quase comprei uma blusa rippie pra mim. Minha vontade era de ficar por lá por muito, mas muito tempo!
Esse bar me encantou demais.
Tem uma gruta, apesar de pequenininha, no meio da cidade!!!
Fazendo a contabilidade, do alto do parque, próximo a pirâmide, avistei 5 estrelas cadentes! Três num dia e duas em outro. O Céu é mais estrelado do que o de Guararema! Guararema que se cuide!
Em certa hora do dia, muitas pessoas vão para o alto do parque ou para a pedra da bruxa para ver o pôr-do-sol. Todo mundo se da bem. O que é seu é de todos e o que é de todos é seu. “Não tem onde dormir hoje? Vem comigo, minha casa fica logo aqui.”. É foda. Parece uma cidade sem lei, porém mais respeitosa do que todas as outras onde já fui!

Natureza esplêndida!

E se você acha que com toda essa natureza, não há baladas, é aí que se engana! As ruas lotam nos finais de semana, mesmo fora de temporada. Vários bares. O que não falta é bar. Lá até as meninas abordam os meninos, uma vantagem para os solteiros… Davissinho que o diga!

Parece realmente a cidade das fadas e duendes.
Em meio a agitação, pode-se ver pássaros e outros animais!

Não sei mais o que dizer… Não sei mesmo. Simplesmente não há palavras que descreva São Thomé das Letras… E dia 23 vou voltar pra lá! Tão feliz! E vai ser temporada, ou seja, tudo vai estar mais fervente.

Abraços para a Dinha e seu caldo de feijão maravilhoso! (me deve o caldo verde), a Maria do Pastel que disse que se voltarmos lá, mesmo se não arrumarmos pousada, é só falar com ela, lá na rua a gente não dorme!!! E para o Edu queijeiro! Que nos ofereceu uma casa pra passar os 4 dia do feriado do dia 23 de junho! : )

Infelizmente por alguns problemas, tivemos que voltar bem antes do planejado : (

Como não tenho fotos, colocarei uma, que não é minha, da Pirâmide aqui!

Diálogo marcante:
Na pizzaria conversando com o dono de lá…
– E qual é a dessa pirâmide!? Ela é cheia de lendas e tals… Dizem que ninguém sabe quem a construiu.
– (risos). Vou te falar a história real. O filho de um fazendeiro construiu ela para ver Ovnis, mas tombaram aquele lugar pra fazer o parque e ele não pôde mais mexer lá. Mas se quer acreditar na outra história, tudo bem, uai.

Acabou com a mágica…

CONTRAS: A falta de transporte para voltar direto pra SP, só sai um no domingo, e só! E também a diferença de valores de um estabelecimento para outro. É gritante (mas nada caro, fora a loja de conveniências ao lado da Igreja Central).
PRÓS: Tudo o mais que não citei aí em cima! A melhor cidade em que coloquei meus pés até hoje!
NOTA: A maior possível!

PostScriptum: Na postagem anterior, eu meio que falei bem de Lavras, mas estava naquela euforia sem ver as coisas por um ângulo mais frio. Me desculpem.
Postscriptum²: Não há lei contra o fumo por lá. Explicaram-me que depois que implantaram em São Paulo essa lei discriminadora, as pessoas de Minas Gerais começaram a se comportar como se fosse uma lei Federal. Mas não é verdade e você pode acender seus cigarrinhos nos estabelecimentos, desde que, claro, se houver área para fumantes.

Lavras

 

Agora estamos mais perto de São Thomé das Letras e SP! Estamos no Sul de Minas Gerais. Belo Horizonte foi legal, no entanto, lavras é mais bacana, se não fosse o fato de esta segunda cidade funcionar apenas de sábado… Mas ainda assim encontramos onde nos divertir em plena sexta.

Em minas também tem o esquema da Lei contra o fumo. Uma merda. Mas encontramos um bar onde se pode fumar depois das dez, não citarei o nome por “N” motivos.

Bilhar, cachaça de alambique, pizza… Foi o que aconteceu hoje! O melhor de tudo é que descobrimos que em Lavras tem aeroporto, o que significa que nada de passar 3 horas dentro de um busão pra voltar pra SP.

Amanhã estamos indo pra São Thomé, onde ficaremos até irmos encontrar a Mi. E depois disso, voltamos.

As cervejas são baratas por aqui! Cigarros, mesmo em balada, seguem o preço tabelado.

Me diverti na tabacaria! Comprei tudo o que sempre quis, mas que achava caro em SP. Finalmente comprei minha garrafinha portadora de vodka que eu sempre quis… Mas nem tudo é flores! Esqueci o arquivo do “Refugio dos Anjos”. Preciso esperar minha irmã me enviar pra continuar a escrever, se não terei que dar voltas pra escrever. Burro eu!

O Dav suspira aqui de queimação no estômago… Ninguém manda comer 4 pacote de Ruffles seguidos… Besta ele.

Eu ainda não consigo me desvincilhar de minha mãe. Três religiosas ligações por dia. Saldade da minha vó e da minha irmã. Não sou emo, sou canceriano.

Está divertido conhecer cidades diferentes. Mas é estranho sair de SP e procurar algo pra fazer a noite.

Um minuto. vou pegar a vodka!……………………………..

Pronto!

Sabe… A JuLoka me chamou de Emo, mas realmente é difícil ficar longe dos amigos… Eu estou me divertindo horrores, uai, mas ainda assim é difícil… Saudades das merdas do Bruninho, do vinho do Dan, da meiguice da Wendy. Do carinho da Luka… Mas sinceramente, mesmo com tudo isso, tá muito bom aqui pra voltar! E já aviso. Combinei com o Dav que a saideira vai ser Guararema! Voltaremos pra SP e vamos pra Guararema.

Bom. Estou vivo e me divertindo!

Não vou ainda postar as fotos. O note não quer reconhecer o cartão e eu não trouxe o cabo da camera… Mas tento dar um jeito nos próximos dias!

Ah! Aqui nem tá taaanto frio como em SP. O que significa que rola uns mergulhos em São Thomé das Letras.

São Thomé, aí vamos nós!

PostScriptum: Mi, não te liguei hoje porque foi corrido, mas te ligo no máximo até domingo!

Ósculos e amplexos!

Belo Horizonte. Parte 1.

 

Ok!

Chegamos em Belo Horizonte.
O dia foi caótico. Davison se atrasando, e eu esqueci o cel. Tive que voltar pra casa pra recuperá-lo! OK. Rumo ao aeroporto!

Avião. e tals. Blá, blá e blá!

Não darei detalhes, mas BH não deixa SP sair da cabeça! Eu como um adorador de São Paulo, não pude deixar de lembrar da minha querida cidade ao ver BH. Uma versão minúscula de São Paulo, menos divertida e com muito mais putaria… Uma versão obscura da Rua Agusta… Só vendo! SP 120 X BH 25 pra quem entende. Dá nojo, mas é mais divertido!

-Vem!

-Não, valeu!

-Uai!

hauhauahuahu

É legal. Gostei muito daqui! Mas o custo não é dos menores também!

Quem vier a BH não pode deixar de visitar a Praça 7. Foda. Foda. Foda.

Amanhã postarei uma foto da caipirinha que servem por lá! A coisa mais fantástica!

Ainda não caiu a ficha que estou em Minas. É como se eu estivesse em um hotel no Vale do Anhangabaú. Mas com coisas meno podres por perto!

Tá confuso?

O caso é: Você anda uma rua e está no Morumbi; uma rua depois na Praça da Sé. Depois disso, é uma mistura de República com Rua Augusta com tempero de Guianases!!! Saca?

FIcarei até sábado aqui. E estou bem.

Uai, sô!

Tá de cadarço amarrado???

OOuuu…

As girias daqui são legais.

Mas de boa. Ficar aqui até sábado é só obrigação. Quero mesmo é chegar em São Thomé.

A cama aqui no quarto é grande pra mim só!

Tenho saudades!!

Posto fotos amanhã!

Ósculos e Amplexos!

Até logo, amigos!

Crianças…

Amanhã é minha partida!
Hoje já estou bem mais animado pra ir. IPod carregado para o Vôo e um medo desenfreado de subir naquele avião!
Mas vejam só! Eu tive a sensacional idéia de, desde minha adolescência ficar sem fazer isso, entrar num desses bate-papos. Entrei em Cidades -> BH. Conheci um cara que já me apresentou um amigo! A galera mineira é muito bacana e acolhedora. Eles mesmo fizeram cotações de valores de hotéis, me indicaram baladas entre outras coisas. Resultado! Eu e Davinho ficaremos por lá até sábado, pois sexta de noite fomos convidados a ir em um lugar chamado Coqueiro! (Se algo fugir do controle, o nome dele está marcado em meu celular como Gil BH e eu o tenho no MSN… Vai queeee….. rs). Ou seja. Só sairemos de lá de BH no sábado de manhãzinha depois desse barzinho com a galera deles, rumo à próxima cidade.

Já estou com saudades do pessoal da Patota do RPG, saudades das ruas, de vocês todos, Tahrjha, Lucy, Grá, Eldinha, Keillinha e blá,blá,blá… e principalmente da minha família aqui em casa… Parece que ainda não me despedi direito, sabe?

Mas logo voltarei repleto de pedras, doce de leite e queijo minas! E claro: Cachaça mineira! E se Deus quiser, com o “Refugio dos Anjos” completo.

Vou postando sobre as cidades sempre que possível. Colocando fotos da viagem e tals, pra vocês acompanharem a saga do Charro! Espero não amarelar e voltar antes do pretendido. Acho que estourando, dia 28 estarei de volta. Vamos ver…

Sabe… Depois de o fatídico sábado, essa semana as coisas estão se acertando. Falei com pessoas (plural) que há tempos não falava. Fiquei feliz por isso, pois quero voltar dessa viagem sem mácula nenhuma. Sem dividas… E tudo está seguindo por esse caminho.

Cada um de vocês cuide-se bem para mim!

Bom… É isso aí… Chegou a hora (quem vê pensa que vou pro Azerbaijão)…

Ãããããnnnn

Bem… Até mais, pessoal…………………. Beijos……………… Amo vocês……………….. Até mais………… Falo com vocês de lá, gente gostosa! Ao menos enquanto estiver em BH.

Saudades…………..

Tchau!!!!!!!!!………

Fui, eim!!!!!!

FUI!

Beijos e Abraços!

PostScriptum: Diante dos protestos da JuDoida, tirei a permissão do moderador para comentários, porém ainda deixo a ordem de terem que deixarem o e-mail. Já rolaram uns comentários maldosos aqui e eu acho mais seguro saber de onde partiram. Desculpa, Ju, Mas seu blog também é burocrático rs.

(Porra de medo de avião!)

Essa é pra você, meu conhecido.

É raro eu fazer isso, mas meio que não tenho palavras pra dizer a frustração que sinto, a chateação que me assola; então vou colocar uma musiquinha aqui dedicada a você… Depois que fiquei sabendo do estrago que causou… Se fosse apenas eu, não teriamos problemas. Mas haviam outras pessoas. Havia minha mãe. Você não tinha o direito de causar tanto tumulto.
Não se mate, não chore… Apenas sinta vergonha e volte a ser o que era antes, aí plante e colha novos amigos.
Essa musica não retrata meu desgosto, mas pode te mostrar um pouco do que sinto. Só um pouco.

Dado Viciado – Legião Urbana
Você não tem heroína, então usa Algafan
Viciou os seus primos, talvez sua irmã
Mas aqui não tem Village, rua 42
Me diz pra onde é que é que você vai depois
Por que você deixou suas veias fecharem?
Não tem mais lugar pras agulhas entrarem
Você não conversa, não quer mais falar
Só tem as agulhas pra lhe ajudar

Cadê o bronze no corpo, os olhos azuis?
O seu corpo tem marca de sangue e pus
Você nem sabe se é março ou fevereiro
Trancado o dia inteiro dentro do banheiro

Dado, Dado, Dado
O que fizeram com você?
Dado, Dado, Dado
O que fizeram com você?

Cadê os seus planos, cadê as meninas?
Você agora enche a cara e cai pelas esquinas
Eu quero você, mas não vou lhe ajudar
Não me peça dinheiro, não vou lhe entregar
Cadê a criança? Meu primo e irmão
Se perdeu por aí, com seringas na mão

Dado, Dado, Dado
O que fizeram com você?
Dado, Dado, Dado
O que fizeram com você?
Dado, Dado, Dado
O que fizeram com você?
Dado, Dado, Dado
O que fizeram com você?

A Caixa / Parabéns, meu anjo chamado Gláucia!

Em baixo da minha cama tem uma caixa de lembranças! Quem me vê de longe, só enxerga um sátirozinho safado, sem imaginar que, dentro de mim, existe um lado Sluagh (Consultar Changeling).

Dentro dessa caixa, não tem nada a não ser algumas poucas fotos, uma pimenta ressequida pelo esquecimento e falta de vontade, pequeninos objetos e muitos, muitos papéis que atravessam o tempo por mais de 15 anos atrás até os dias de hoje;  desde quando eu queria uma banda sem saber tocar absolutamente nada, quando assisti a tentativa de suicídio de um amigo querido… Bom, era querido, hoje nem sei dele!

Lá dentro existem cartas, letras de musicas que eu e o Davison escrevíamos quando adolescentes, a embalagem da camisinha com a qual perdi a virgindade e guardanapos rabiscados com desenhos, frases e dedicatórias de amigos.

É uma caixa grande, sem valor nenhum pra quem vê, mas pra mim, é a coisa material mais valiosa que tenho! Levem meu Xbox embora, mas, por favor, não encoste em minha caixa, não mexa, não olhe…

Abrir aquela caixa seria como se me despisse em praça pública. Mostraria minhas vergonhas, meu orgulho e, certamente, atingiria minha ira com tal atitude!

“Ah, Senhor Charro, então porque comenta sobre isso sendo que não quer que ninguém fuce?”.

Eu tenho o costume de juntar as tralhas da minha vida. Sou um colecionador, um colecionador de lembranças. Já que esqueço tudo tão facilmente, coisas que falo na tarde e não lembro quando a noite cai, preciso desse apoio. Guardar as coisas. Sempre que limpo a casa, tenho um grande problema em me desfazer de papéis e outros lixos.

A Wilminha ultimamente anda sendo o problema da minha vida. Desenhou, largou no chão, vai pra minha caixa! “Olha Wilma, isso você desenhou quando era criança…” – 20 anos depois.

Para você que me perguntou o porque comentar isso, eu digo, colecione sua vida, guarde sua vida e a trate com valor. Arrume uma caixa (eu comecei com uma caixa de sapato, foi para duas caixas. Hoje está tudo em uma caixa da impressora que comprei.

A vida pode lhe dar muitas lembranças, boas e ruins. Algumas você guarda apenas para lembrar do que não fazer, outras para sentir uma triste nostalgia do que se passou.

Tem uma carta que minha mãe me deu, em meu aniversário de 12 ou 13 anos, explicando que me amava, mas naquele ano, não poderia me dar nada. Imagino a tristeza com a qual ela escreveu, chorando talvez!!! Foi melhor que ganhar um Super Nintendo (vídeo Game foda na época). Então guardei.

Existe uma carta, uma letra de musica na verdade, que um amigo meu escreveu quando o irmão mais velho dele faleceu. Porque jogar fora algo que expressa tanto sentimento?

Pessoas, guardem os sentimentos. Guarde parte de sua vida.

“Ah, mais agora estou velho”.

Quando você perceber, já passaram dez anos e você poderá pegar aquelas folhas amareladas e sorrir pra si mesmo. É tão gostoso!

Poderá lembrar-se de coisas do tipo: “Cacetada! Olha o chumaço de cabelo que a Nô me enviou por carta quando ela morava no interior!” ou “Caralho! A foto da Anastácia, ela era boa pra mim!”.

Eu amo guardar lembranças…

E você? O que espera para arrumar uma caixa?

************

GLAUCIA!

Hoje é um dia feliz! É o aniversário da minha melhor amiga ausente, a Glau!

Eu nem vou escrever muito, na verdade quase nada, apenas dizer que ela é uma das pessoas mais importantes na minha vida, e que eu a amo incondicionalmente, mesmo ela estando tão ausente. Mas hoje consegui falar com ela e minha vida ficou melhor assim!

Glau, a menina que decora as musicas do comercial do Dollynho… Te amo muito, muito mesmo. Sábado a gente vai se ver, e o que era antes uma reunião de amigos, se transformará em sua festa de aniversário.

Felicidades, meu amor!

*Gláucia e Gracinha no Geda´s em meu aniversário de 26 anos.