Um estranho post…

O amor não é algo inconfundível, pelo contrário. Tamanha sua simplicidade que logo podemos ver duas pessoas que se amam, pois quem ama, simplesmente, não precisa demonstrar… A coisa toda jorra de dentro para fora colorindo todo o ambiente em que está e acaba contagiando os outros ao redor.

Descobrir um amor pode ser uma experiência única!

Você chega em casa e não dorme, se dorme sonha com a pessoa amada. Acorda e a primeira coisa que vem à mente é a tal criatura que conseguiu cativar seus sentimentos. Você não funciona direito… Se trabalhar bem, é com a idéia de que precisa juntar grana para que possa levar um futuro à frente com o ser amado… Pegar um cinema, ir aos parques da cidade e andar de bicicleta… Rir pela menor das coisas que pode acontecer no dia a dia. O amor enobrece o ser e aumenta a felicidade.

Feliz daquele que ama.

Feliz daquele que é capaz de esquentar os pés nos pés de outrem num domingo chuvoso. Assistir àquele filme pela quinta vez e sempre se emocionar. Ligar tudo o que lê de bonito em sua história fantasiosa de amor mútuo.

O amor é ingenuidade.

Você vira uma simples criança capaz de bailar na garoa. Olhar para um arco-íris e se atrasar para o trabalho simplesmente porque aquilo é tão belo. Sai correndo mais tarde só pra encarar a pessoa e dizer: “Como foi seu dia?”.

O amor enriquece…

Não de dinheiro. Mas de bondade, sinceridade e cumplicidade. E mais do que um ser humano precisa?

Quem ama não pensa no futuro e, paradoxalmente, pensa tanto no futuro que enjoa.

Caso você não tenha até hoje sentido isso… Você não sabe o que é o amor.

***

Ok. Sei que é estranho me ver falar de amor, mas hoje me lancei um desafio para ver se eu era mesmo bom disso… De boa…

Prefiro minha acidez.

“MAIS AMOR, POR FAVOR”.

Sandman

Agora que resolvi mais uma vez me aventurar no mundo dos quadrinhos (a aventura vai tão fundo que faz mais de um mês que não compro um livro), estou descobrindo coisas fantásticas e redescobrindo outras.

Tudo começou quando comprei a revista “Kick-Ass”. Tive um deleite. Depois retornei a atenção para o aracnídeo mais legal das revistas em quadrinhos, e agora estou mergulhando mais uma vez em “Sandman”!

Sandman é realmente um deleite. Uma coisa muito boa de ler. Detonei sete revistas que comprei e agora me aventurei a pagar uma fortuna na edição definitiva que vi na Livraria Cultura. Claro que não comprei lá. Pelo site da Fnac economizei mais de 50 reais do valor real (imaginem o quanto custa pra haver um desconto de 50 mangos).

Aguardo ansiosamente para tê-la em mãos no dia de amanhã.

A edição definitiva do personagem mais clássico de Neil Gaiman (o mesmo que escreveu o livro que deu origem à animação “Coraline”) reúne os vinte primeiros volumes já lançados, incluindo os sete que eu já li.

Quem nunca leu, não sabe o que perde. Sandman, junto com seus outros irmãos da família Perpétua, sempre traz histórias complexas para a diversão de todos. Entre seus irmãos está a tão adorada (e tão copiada em festas à fantasias) Morte. Quem imagina a morte como algo mal, de cara malvada, vai aí uma imagem da “queridinha” pra vocês verem.

Já havia lido Sandman. Mas nunca com tanto deleite como hoje. E por falar em deleite, Deleite é uma das irmãs de Sandman também…

Quem forma a família dos Perpétuos são: Sandman (ou Morpheus), Morte, Destruição, Delírio (ou Deleite),Destino, Desejo e Desespero.

Todos eles representam algumas características humanas, como podem ver.

Para mais detalhes, vou deixar um link de um artigo da Wikipédia caso se interessem

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sandman_(Morfeus)

Agora vou cuidar das dores pós fim de semana que ainda se fazem presentes em meu corpo, afinal, não estou velho, mas já não sou mais essa coca-cola toda!

Abraços do Charrinho.

2 anos de blog.

Primeiramente queria dar parabéns para meu blog que completa dois aninhos cheios de drama, covardia, desespero, humilhação e falta de amor!

Parabéns, Dulce!

Segundo. Eldinha… Não levei a mal… Assim como sua correção pública, vou deixar um beijo, um abraço forte e dizer que te adoro em público também!

Terceiro… Pela primeira vez na vida fiquei triste de voltar de uma praia. Acho que nunca foi tão legal ir para a praia. Era pra ter ido para Paranapiacaba, mas devido a assuntos “trabalisticos” acabou não dando, e assim, fui salgar o piroco.

A bela redundância de “praia, areia, Sol e mar”. Um tempo ameno, cerveja, caipirinha e violão. O legal foi eu tocar violão enquanto o resto cozinhava… Minha função estava dada na casa.

Cenas engraçadas como uma mulher jogando o resto de cerveja para o lado e acertando na pobre criança que passava na areia. A lentidão das pessoas para nos atender no mercado e no quiosque. Chegar na casa e não haver energia elétrica! (Ainda bem que a energia veio depois, ninguém merece banho frio).

Bebi, deitei na rede, tomei Sol e bebi de novo.

Resultado.

Não queria vir embora… Isso nunca me aconteceu numa praia, logo eu que detesto mar, ou detestava.

De qualquer forma a coisa estava tão boa que não quis voltar com mais peso.

– Vamos deixar o colchão inflável aqui mesmo na casa!

– Mas por quê? Não vai usar?

– Sim! Mas quando voltarmos semana que vem!

Sábado estou lá de novo, mas aí vou de carro… Pegar ônibus pra voltar é foda!

O & A.

Uma confissão.

Escrever!

Nunca fui bom em nada, sempre que tentei ser bom em alguma coisa, as pessoas conseguiam ser melhores que eu, pra tudo.

Quando criança, jogava futebol na escola, era goleiro dos bons, mas sempre tinha um filho da mãe que conseguia me superar. Tentei ser o melhor aluno também, mas faltou-me inteligência em matemática, química e física.

Depois de um tempo comecei a desenhar e vi que era bom, mas apareceram pessoas melhores que eu e, assim, resolvi desistir como sempre faço em minha vidinha.

Tentei sacar de magia.

Tentei ser bom narrador de RPG.

Tentei ser Nerd.

Tentei tocar instrumentos.

Tentei namorar, e neste quesito, sou criticado duramente até hoje… Não há uma ex que diga “sinto saudade de tudo em você”. Mas ok. Pra isso eu até consigo compreendê-las.

Algumas pessoas sempre dizem: “fulano dirige melhor que você”. Eu sei, pô, mas depois de aprender a dirigir sóbrio, nunca deixei ninguém em perigo. Ou será que eu seria um motorista “perfect” se corresse com o carro bêbado, dando “drift” por aí para fazer um percurso em dez minutos?? É. Acho que seria.

Tentei ser pai; não obtive êxito e nem confiança.

Tentei casar, e quando eu não abandonei o barco, me deixaram de mãos abanando. E agradeço por essa dádiva e mais alguns anos de solteirice.

Tentei parar de brigar, não deixaram.

Tentei ser idiota, ficar bravo e quebrar coisas, mas não foi uma cena bonita e nem ultra-romântica… Ok. Tive êxito em ser idiota.

Mas há algo para o qual as pessoas dizem que sou bom: Escrever!

Porque escrever hoje em dia é a única coisa que faço com a alma. Faço com sentimento. As letras são as únicas coisas capazes de me dar um elogio e permanecerem com a mesma palavra através dos anos. Ninguém apaga o que está escrito. Sempre alguém vai lembrar.

No entanto, ainda fracasso como “pretendente a escritor”.

Gramática péssima. Livros inacabados e tantas letras desprendidas por aí que nunca mais verei.

As letras não mudam de idéia quanto à mim, mas eu mudo de opinião em relação à elas.

Bom fim de semana e se der tudo certo, vamos viajar!!!!!!!!!!

O & A.

Divulgando ApontaCast

Só pra avisar que finalmente estamos de site novo com mais conteúdos.

www.apontacast.com.br

Passem lá!

UP

Um UP de quarta.

O ânimo chegou mais cedo essa semana, bem na quarta-feira!
Aborrecimentos do emprego à parte, hoje foi um dia saboroso.

Na verdade começou ontem, quando a vontade de escrever veio à tona com um comentário de uma amiga que viu meu blog, o outro, e disse:
– Me fez até lembrar Chico Buarque.

Eu:

– Hauhauhua- Eu não valho o risco que o Chico faz pra testar uma caneta.

Bom, apesar do exagero hediondo e quase pecador dessa minha amiga, fiquei bem contente e encheu minha cabeça de idéias. Mais tarde fui com uma pessoa bem querida ver o filme novo do Tarantino: A prova de morte. Filme foda. Bem foda mesmo.

Hoje já entrei com uma outra amiga cujo blog é: http://mesmoquenaohouvessemusicaeuchoraria.blogspot.com , nos planos de fazer um roteiro. Sim. Um roteiro. Ela escreve maravilhosamente bem e sempre soube que mais hora ou menos hora teria que fazer algo em conjunto com ela. Então já começou!

Fim de noite terminando com uma boa narração de RPG com o pessoal bem apostos. Jogamos “Nárnia”.

Muito bom!!!

Muito ânimo está para surgir por aí, aí depois a gente cai de novo e se levanta mais uma vez… Essa é a vida!

Ósculos e Amplexos.

A certeza de que tudo se foi.

Aluga-se

Aluga-se um amor de inverno.
Não necessita estar em bom estado, mas é necessário que tenha ao menos um bocado de compreensão e que seja confortável. Não necessita haver mobílias, já tenho as minhas e posso levá-las para lá.

Não tenho fiador. É importante então que haja apenas a confiança de que eu pagarei tudo em dia.

Preciso também que entenda que tenho certas manias.
Mania de limpeza, de clareza e de transparência.

Quem tiver um amor que eu possa alugar, entre em contato comigo na Rua da Coincidência, N° 6, próximo à Avenida dos Idiotas.

A locação não passará de uma temporada.

Atenciosamente,

S. Charro

Ósculos e Amplexos.