Confissão no acelerador.


Tenho plena confiança de meu destino.

Não temo o futuro, e talvez isso seja um grande erro. Não ligo para as coisas que muitos se importam, dinheiro, amor… Foda-se. Mas têm dias em que me pego a ficar preocupado pensando se tudo isso o que imagino que irá me acontecer é real. Será que aquilo o que me reservo irá acontecer?

Se não acontecer, prefiro estar morto. Às vezes rezo pra morrer sozinho numa batida de carro. Quando só, piso fundo no acelerador esperando que algo aconteça… Nunca volto em paz de carro pra casa. Sempre espero que o pior aconteça… É que as coisas já não fazem mais sentido. Vivo num mundo de ilusões e tento me matar, mas nunca concluo… Sorte… Covardia… O que será? Eu não atiro o carro em lugar algum, mas ele também, por sua vez, insiste em chegar comigo em casa. O que há de errado com aquela merda? Porque não termina o serviço?

Anotem essa linha: Um dia vocês ficarão tão cansados que me odiarão, e isso vai contra o que eu quero para o futuro, mas no fundo sou ambicioso e sempre quero mais. Como eu disse para minha amiga Maíra: eu sou cheio de mim. Não me venham com qualquer coisa pior que eu… Mas sou tão baixo, tão fraco, tão covarde… que além de não conseguir tacar aquela merda num muro, ainda me dou ao direito de sonhar… Quem dera os Changelings realmente existissem… Tudo faria mais sentido para as pernas de bode que vejo em mim e para as cores, que teimosamente, insistem em me levar pra outro lugar durante a noite. 

EU ACABEI COM O AMOR, EU FUI FALHO… VITIMA NÃO.

Termino com tudo o que ameaça meu sonhar…

Eu devia ter um filho agora. Mas provoquei minha expulsão do mundo normal… O que me resta agora é um mundo do qual não sei se existe. Espero a morte chegar cedo. O que me fode é que sei que sou forte.

MERDA!

Um comentário em “Confissão no acelerador.

  1. Não é fácil, não pensar em você
    Não é fácil, é estranho
    Não te contar meus planos, não te encontrar
    Todo dia de manhã enquanto eu tomo o meu café amargo
    É, ainda boto fé de um dia te ter ao meu lado
    Na verdade, eu preciso aprender
    Não é fácil, não é fácil

    Onde você anda, onde está você?
    Toda a vez que eu saio me preparo para talvez te ver
    Na verdade eu preciso esquecer
    Não é fácil, não é fácil

    Na verdade não consigo esquecer
    Não é fácil, é estranho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s