Um outro dia qualquer.

Hoje foi um dia com uma pitada de tristeza.
Força, Alex.

***

Pessoal, o segundo episódio do ApontaCast está no ar: WWW.apontacast.podomatic.com
Só ir lá e ouvir… Homenageamos o dia 1° de abril.

***

Hoje, dirigindo e ouvindo StrayCats, notei o quanto uma vida pode ser delicada. A gente fica perdendo tempo com tantas coisas idiotas, mas só num enterro vemos o quanto estamos deixando pra trás, ou quanto fomos deixados.

Na minha morte não quero cortejo.
Quero ser cortejado.
Não quero enterro.
Quero ser é cremado.

Não quero lamentação…

Quero paixão.

Por hoje é só isso mesmo.

Força sempre!

Uma segunda qualquer.

Segunda-feira, dia morno e sem graça. Oito e meia da manhã. Meu humor não é legal nesse dia.
Observo os transeuntes que cruzam o meu caminho feito robôs. Ninguém fala com ninguém e não há simpatia. Tudo bem. Eu também não sou uma pessoa boa nas manhãs de segunda feira. Desato a andar apressado pelas ruas em busca do ponto de ônibus. “Corre cara. Os papéis do trabalho estão te esperando. Estipulantes, números, seguros e corretores. Acelera o passo que você, como sempre, está atrasado”. Acabo trombando em algumas pessoas, o que me deixa num estado de espírito ainda pior. Avanço até a aglomeração, subo no transporte coletivo e batalho por um lugar sentado. Ótima segunda!
Admira-me que às vezes vejo pessoas sorridentes no início da semana. Isso para mim é algo inconcebível.
Fico sentado, inerte praguejando contra o mundo e pensando no metrô que ainda está por vir.
Próximo ponto. Azar de quem sobe agora. Ao menos eu estou sentado!
Ela sobe. Eu a olho.
Já aconteceu algumas vezes, mas nunca nos falamos.
Não sei se ela vai estudar, não sei se trabalhar. Na verdade pouco importa. Ela só é mais uma menina muito bonita. E com uma mochila enorme por sinal.
Ela veio andando até próximo de onde eu estava sentado. Por um momento inútil, de tão pequeno, trocamos olhares.
Respirei fundo. “Seja cavalheiro. Ela é bonita e não custa nada”.
– Quer que eu segure a mochila pra você? (certamente você deve ter imaginado que eu daria meu lugar a ela… Não sou tão bondoso assim).
Ela sorriu e logo lançou a mochila em meu colo.
– Obrigado.
– Não há do que – Respondi virando para frente e sorrindo para parecer simpático.
– Moço… – Disse ela sem que eu esperasse. Virei rápido o pescoço e fitei aqueles olhos desconhecidos até então.
– Existe um fio enroscado em sua barba. Posso tirar pra você?
“Pensa, pensa, pensa… Ela deve ser louca e tem mania de arrumação!”.
– Ah… Tem é…? … Humm… Claro… hehe… Obrigado.
Delicadamente, com as mãos mais belas que já vi, ela removeu um pequeno pedaço de linha branca que estava entre os pelos na minha bochecha. Olhou-me e sorriu. Olhando para ela eu sorri. Ela esperava algo, quem sabe. Uma palavra a mais, uma aceno. Um pouco de amizade. Quase sempre a vejo na lotação, mas não sabia como agir ali.
Virei para frente ainda sorrindo. Ficamos quietos e deixamos tudo como estava. Sem amizade, sem uma palavra ou aceno… Sem romance nenhum pra tentar. Mandei ao inferno a chance de um bom início de semana.
Chegando à estação de Metrô…
– Obrigado – Disse ela pegando a mochila.
Olhei-a.
– Obrigado a você por tirar aquela linha do meu rosto.
– Imagina.
Aí ela foi indo. Sumindo…

Tudo bem. Às vezes a vejo. Da próxima vez dou-lhe um pouco de amizade.

Esses números são de vocês.

Estatísticas do Dulce Far Niente.

Total de visualizações: 23.007

Dia mais agitado: 188 — Friday, June 19, 2009

Artigos: 299

Comentários: 731

Esse é o Artigo de número 300. E nada melhor do que agradecer vocês por estes números, que, por se tratar de um Blog inútil e sem nenhum assunto, consegue mais de 1500 acessos no mês.

Parabéns pra vocês!

Valeu!

Ósculos e Amplexos.

A morte de todas as noites.

Há um túmulo em meu travesseiro que não me deixa descansar, e dentro dele está a minha vontade de deitar e dormir.

ApontaCast.

APONTACAST

Finalmente consegui colocar essa porra no ar. Agora ninguém segura.
Pra quem tiver o ITunes instalado, na própria página tem um ícone, à direita inferior com o símbolo do ITunes, clicando, o próprio programa baixa o PodCast. Mas pra quem não tiver, dá pra dar o play de lá mesmo da página.
Esclarecendo que este é o piloto, apenas um teste. No próximo a gravação vai estar melhor e mais audivel, já que a placa semi-profissional foi instalada no pc depois dessa gravação. Fora os temas. Este gravamos sem temas e acabamos entrando no Gordo Five, mas os próximos estarão mais audiveis e mais divertidos e com assuntos interessantes, não duvidem.
A programação está prevista para de 15 em 15 dias.
Até lá.
Segue o link: http://apontacast.podomatic.com/
Comunidade no Orkut:

Aguardem, como já disse, este é um simples teste. Os próximos serão fodas!

Mais uma semana de cão.

Esta semana tem sido do cacete. De verdade! Assim como a outra. Mas dessa vez parece que é por batalha interna mesmo. Ontem, ao ir tomar banho, senti um desespero enorme como se tivesse ficando louco, uma dor que dá dentro da gente e eu juro que não sei por quê. Não consigo descobrir o motivo disso. Mas passa. Deve passar.

Em meu outro blog ando postando muito pouco, isso tem um motivo.

Os meus textos, antes de eu postar, começarei a mandar para o meu círculo de amigos literários para que revisem, dêem a devida opinião e, só depois,postarei. Então aguardem que a freqüência desse evento será de uma vez por mês. A não ser quando eu estiver bem animado, o que foi o caso de hoje.

WWW.sergiocharro.wordpress.com

Beijos,

S.Charro

Fadas existem, ou é coisa da imaginação!? QUE SE F*

Fadas? Que porra é essa?

Eu explico!

Tem gente que acredita, outros não. Eu tenho crença em fadas, foda-se o que vocês vão falar. Tenho muitos chegados que enxerga a vida de uma forma diferente, uma forma ilusória e simples. Hoje, ainda, estava comentando que não me conformo em trabalhar por um pedaço de papel enquanto na vida temos tantas coisas interessantes, no entanto, os humanos estão interessados em ganhar dinheiro e sair paquerando por aí. Eu não me adapto.

Vivo em um mundo estranho. Eu sempre digo não acreditar no amor, e realmente, não acredito, isso pra mim é para os trouxas, porém, eu queria tanto ter uma criança… E que sentimento, se não o amor, poderia gerar um rebento inocente de tudo?

É complicado… Voltando às fadas.

É como viver num mundo onde sempre é fim de semana. Tudo o que você gosta está lá! Eu me complico pensando nisso. Têm dias em que elas passam por aqui feito um vulto, as fadas sempre fazem isso… Passam diante dos meus olhos e fogem. Não devo ser digno de uma bebedeira com elas… Deve ser isso, mas acontece que tenho pernas de bode, e poucos sabem o que isso significa. Ah, que se dane as fadas…

Amo conversar com pessoas que são sem noção como eu sou, tem uma garota do Rio com a qual converso que é super gente boa, e faz tantas palhaçadas como eu faço, coisas idiotas, mas ela é bem diferente de mim enquanto é igual! O comentário sobre isso aqui no blog surge porque eu estava pensando em algumas coisas que faço da minha vida… Arrumo encrenca com todos e depois desato a pedir desculpas, pelo o que ela disse, as coisas não são diferentes com ela, mas pouco posso falar dela, afinal, nem nos conhecemos ainda, mas pode ser que aconteça em julho (comentário citado, feito).

Penso sobre o amor, e quem não pensa? Mas já notaram que as pessoas que você mais ama são aquelas que mais vão te foder na vida? Comigo é sempre assim, e por isso quero distancia disso. Já cansei. Ninguém nasce pra ninguém nessa porra! (palavrões mesmo, e daí?).

Esses dias atrás eu resolvi me divertir de vez com as pessoas erradas, quero mais é ficar no erro, não há amor debaixo do Sol, pois se a gente se preocupa, mesmo que inutilmente por alguém, e essa pessoa te ofende no fim das contas, que vá tudo ao inferno. Não há mascote, não há amor… O que existe é apenas a casa da qual você sempre está de volta. É isso.

Amor uma figa!

Se alguém conseguir, sutilmente, me mostrar o amor, eu sinceramente, darei o braço a torcer.

Aguardo os desafios!

Beijos!