Tudo indo bem!

Apenas por satisfações aos que freqüentam o Blog.

Esses dias eu tenho me dedicado aos meus planos literários para 2010. É exatamente por isso que eu não ando postando, pois tenho que dividir minha vida escritora com a minha parte banal e faturista. Contudo, afirmo que os planos estão indo bem e mais do que nunca, mas com algumas modificações.
Quando eu decidi colocar a história da Luana com outros contos, tive a impressão de que pudesse ofuscar o brilho da minha menina, então voltei atrás e estou finalizando e revendo, pela quarta vez, o texto todo. Sempre vejo algo pra tirar e outras coisas para acrescentar. Mas o período das impressões e lançamento terá que esperar um pouco mais. Março, quem sabe.

Conheci alguém bem bacana que me fez recuperar essa fúria pelas letras e ter, mais do que nunca, a impressão de que tudo vai dar certo! Tantas dicas me foram dadas sem nem mesmo eu pedir. Foi como se ela me sacudisse e dissesse: “Vá escrever, cara!”. Sem ao menos pensar nisso. A presença dela já é inspiradora. Mas dá medo da aproximação, coisa minha, besteira… Não importa, passa a ser também algo inevitável… Mais uma pessoa que anda me acompanhando nas cervejas e pra agradecer na folha de dentro.

De qualquer forma. Vim aqui mesmo apenas para dizer que tudo está se movimentando. A vida se alinhando (apesar de alguns detalhes) e tudo ficará bem bonito!!!
Saudades de vocês, não aqui no Blog. Pessoalmente mesmo. Ah!!! Queria deixar uma dica de um site pra vocês verem http://www.mairaviana.com.br – Tem bastante coisa legal!

Ósculos e Amplexos!

Morte.

A morte se aproxima, de olhos vendados, num cavalo trotando passo por passo, atraente, fúnebre, tristemente como ela é, dando boas vindas para aqueles que, de bom grado, se juntarem a ela.

ÓSCULOS E AMPLEXOS!

Lugar estranho.

Um estranho no “paraíso”.

Hoje foi dia de academia. Fui ver o modo comportamental dos bombados e agora resolvi fazer um estudo da convivência dessa estranha raça.

É cansativo. Haja energia. Descobri que minha irmãzinha tem bem mais energia do que eu. Sobe esteira, desce esteira, trota, corre, diminui, aumenta. Vai,vai,vai!!! Na hora das abdominais: “vai Sergio, mais cinco!!!!”. Eu: “Mais cinco?!”, “Vai, não para continua fazendo e contando!”, “Mas Pá! Não agüento mais, já fiz muitas, não agüento de dor!”, “Vai Sérgio, apenas mais cinco!”… “Ok… 11, 12, 13…”.

Ô meu! Parece fácil, mas não é não! Já não tenho mais o mesmo pique de quando fiz trocentas artes marciais anos atrás…

Recusei formalmente o convite dela para fazer abdominal lateral! “Chega, vou pedalar”. Aí fiquei lá na bicicleta olhando a piscina e pedalando. Natação sim deu muita vontade de fazer!

Mas de qualquer forma, é bom sair do sedentarismo. Agora me sinto bem, amanhã não sei se poderei fazer o mesmo! Mas voltarei lá! Cuidar da saúde. Quero ser um escritor em forma. Não em forma de brutamontes, mas também não quero ser gordo. Musculosos ainda me enojam! Tudo está pago. Não há como voltar atrás agora.

Hoje passei na livraria cultura e fui dar uma olhadinha na parte esotérica. Fazia tanto tempo que eu não via livros com esse tema. Achei bastante coisas interessantes, mas nada que me obrigasse a comprar, com exceção de um livro sobre entidades das florestas, mas achei tão artificial que deixei pra lá. Conheço fadas pessoalmente pra ficar comprando qualquer livro por aí… Qualquer dúvida, pergunto a elas.

Post sem fundamento algum… Eu tinha algo mais interessante pra falar, mas me esqueci. Portanto, ósculos e amplexos.

Discipulos de Valdete.

Um dia suave e de resoluções de causos. Se eu falei hoje mais de 100 palavras, foi muito! Já passaram por isso? Mas tive trocas de e-mails intensas, pontos finais colocados.

No fim do dia fui sozinho assistir Avatar no cinema. Fazia tempo que eu não ia só ao cine pra ver um bom filme. Realmente me cativou e bastante esse longa de mais de duas horas! Haja bunda pra agüentar!

Agora é só aguardar pelo bom fim de semana com um feriado na segunda! Só quem trabalha pra caralho sabe aproveitar os fins de semana! E ainda vai ter programinha de Nerd no Vergueiro! O que mais eu quero pro fim de semana?

Gostaria de avisar também que é possível que nesta sexta aconteça a primeira gravação do PodCast que comentei anteriormente aqui no blog. O projeto piloto vai ser meio que assim, no tiro, mas tem tudo pra ser legal. Os temas serão bem engraçados, englobando as notícias que você nunca vê e muitos causos de RPG, que mesmo para quem não conheça, vale a pena ouvir pelas piadas!

O PodCast já tem nome. E é “Discípulos de Valdete”. Garanto que vai ser bem interessante ouvir.

Quem já quiser agilizar as coisas pra saber sobre esse trabalho, vai baixando um programa chamado ITunes. É bem levinho e ainda você pode ouvir musicas nele. Tem várias funções como rádios de vários lugares! Super bacana de bom. Aí depois eu passo o endereço do Blog do PodCast pra vocês verem as outras instruções.

Forte abraço e lembrem-se: O difícil não é arrumar alguém que faça você sorrir quando precisar, mas sim uma pessoa que chore junto a você!

 

Post Scriptum: Não sei se perceberam, aí do lado tem um campo onde vocês podem cadastrar o e-mail de vocês e receber os últimos posts no e-mail! Facilita pra aqueles que tem problemas para acessar o Blog! Cadastrem-se!

 

Ósculos!

Se me deixar entrar na avenida, eu vou pular o carnaval.

Se você deixar, vou pular o carnaval. Tudo só depende de você. Será que a fantasia está boa? Será que o meu sambado já convence? Quem me vê sambando não diz que sou bom disso, e eu sei que não sou, por isso me mantenho parado como você sempre viu. Mas se deixar, entro na avenida e vou dar o meu melhor, mesmo sabendo que posso fracassar e parar no meio do enredo. Não vou saber cantar. Vou esquecer a letra. Mas se deixar, eu vou sair pra sambar. Se deixar, eu entro na avenida, mesmo que triste. Ainda triste eu vou sambar. Vou dançar até me machucar. Ou machucar alguém. Mas eu vou. Se você deixar eu entro. Eu vou me acabar e esquecer que odeio o carnaval. Isso porque eu sempre fico triste quando chega o carnaval.

Vou montar toda a alegoria. Vou fazer do meu carnaval o maior carro alegórico que já se viu na avenida. Vou detestar as cores, mas com o tempo eu posso gostar. Se você deixar eu vou! Estou já no acesso da avenida. Todos se divertem e eu morro em meu silêncio. Minha fantasia está horrível, mas pode ficar melhor a medida que eu sambar. Vou esquecer o rock. Vou entrar na avenida pra, finalmente, poder viver dentro da lei!

Não me deixe sambar.

Não me deixe entrar na avenida, pois eu sei que uma vez dentro, posso ser contaminado pelo samba, pela bateria e pelas mulheres. Não olharei mias torto quando passar pelo recuo. Salve-me…

No momento em que anunciarem a escola, segure minha mão e peça: “Não entre nessa avenida, isso não foi feito pra você! Você é mais do que samba, você é rock. Você é um fora da lei. Te busco na penitenciária com um carro que não seja roubado dessa vez. O teu relógio não vai parar dessa vez e nem vai ser encontrado tão longe de onde você está. Podemos viver fora da lei de uma forma que nunca agrediremos nossas próprias leis. E naquele bar onde te conheci. Naquele Saloon em que você se apaixonou, iremos mais uma vez para eu provar que você não pode viver sem mim em mais nenhuma manhã que nascer”.

Mas se não for assim. Se for embora. Eu vou pular esse carnaval até chegar à saída da avenida e, quem sabe dizer: “Carnaval é bom!”. Mas me conhecendo, ainda prefiro o bom rock, a boa mesa de bilhar e viver intensamente sem qualquer alegoria.

Não me deixe entrar na avenida.

“ Muito obrigado, eu já andei perfumado.

Não quero mais andar na contra mão”.

Eu não quero mais pular o carnaval.

Quando a vergonha BATE!!!!!!!

Uma história da pré adolescência.

Ser adolescente ou pré adolescente é a coisa mais sofrível do mundo, e dá uma vergonha de lembrar. Vou explicar.

Quando eu era jovem, uns quatorze anos, tinha visto um filme bem bacana que não me recordo o nome, sobre um menino que tinha um pouco mais de idade que eu. Esse menino, no filme, discutia com sua mãe e reclamava da ausência de seu pai, no ápice da discussão, ele disse algo mais ou menos assim:

– Nunca pude contar com meu pai, ele sempre é ausente demais. Nunca está conosco. Veja mãe. Eu já tenho barba e ele nem notou, tive que aprender a fazer a minha barba sozinho!

E ambos, mãe e filho, se abraçaram e começaram a chorar…

Quando a ficção não pode ser realidade:

Num certo dia, depois de ver esse filme, tive uma briga com meu pai, aquela coisa de eu querer sair e ele não deixar. De tanto brigar e esbravejar, corri para o banheiro antes que ele ficasse mais furioso, minha mãe como uma boa intermediária das brigas, vendo que eu estava errado, adentrou no banheiro logo atrás de mim e começou a me falar um monte, que eu devia respeitá-lo e coisas do tipo, então, lembrando do filme e com todo meu drama canceriano, olhei para ela com os olhos cheios de lágrimas e disse algo mais ou menos assim:

– Nunca pude contar com meu pai, ele sempre é ausente demais. Nunca está conosco. Veja mãe. Eu já tenho barba (três fios na bochecha direita, dois na esquerda e uma leve plumagem acima da boca) e ele nem notou, tive que aprender a fazer a minha barba sozinho!

………………………………………………………..SILÊNCIO E OLHARES FIXOS UM PARA O OUTRO. MEU ROSTO AVERMELHANDO………………………………………………………….

Ela:

– Ah????????

Com aquela cara de quem não entende nada estreitando os olhos e entortando a boca.

EU COMPLETAMENTE VERMELHO.

Quando a vergonha bate:

Logo após a interrogatória constrangedora dela, desatei a chorar, mas dessa vez não era de indignação, era de vergonha mesmo!

Tive uma grande lição.

Ficção e literatura só são bonitas para se ler e ver, não tente transformar em parte de sua vida, dá uma vergonha do caralho se não surte o efeito desejado!

Meu pai nunca foi ausente, e por isso, a vergonha desse fato se tornou sempre tão presente…

******************************************************************

Hoje alguém fica mais velha!!!!

Hoje uma das pessoas de maior valor que conheci nesses meses que se passaram, fica um aninho mais velha.

Sempre responsável e com uma amabilidade do tamanho do mundo, apesar de eu não suportar sua seriedade às vezes e ela nunca suportar minha irresponsabilidade.

Parabéns, Lih! Que você sempre seja feliz e iluminada com essa família fantástica que você tem!

Um beijo enooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooorme e do tamanho do mundo!

E lembre-se: Nimbus… Nimbus… Agora mais do que nunca huahauhauhauhuahua…

(a porra da ausência de uma foto, se deve ao fato de eu simplesmente não encontrar a minha pasta no PC. Tenho que ter uma conversa com a dona Paolla… SACO!)

Ósculos e Amplexos!!!!  :s

A grande assassina.

Jante ao meu lado

Limpe o prato depois da refeição

Diga a sua mãe que nem tão cedo voltará pra casa

Fale que arrumou alguém que gosta da sua comida congelada

Preparada

Deturpada

Estragada

Diga a seus pais que nem tão cedo voltará pra casa

Sirva-me no prato e termine o serviço

Antes que soe as sirenes

Dê-me tudo de bom que tem a oferecer

Passe esse resto da comida

Gosto de microondas

Mordo a tampa do pote

Finjo não suar

Termine logo com isso

Encha a minha barriga

Pegue a faca

Atravesse meu tumor vermelho

Agora tudo acabou

Acabou?

Vá ao inferno

Primeira à esquerda

Morda meus pés e me jogue na lama.

Nada disso um dia foi tão vazio, nem precisava ser

Mas o seu dom de me assassinar diversas vezes chega a ser perturbador.

– Cézar de Campos