Feliz ano novo.

Promessas para 2010.

– Ser menos vulnerável.

– Ser mais sincero.

– Voltar a acreditar no amor.

– Descolar um paralelepípedo.

– Colocar o paralelepípedo no passado.

– Escrever muito.

– Ser menos hipócrita quando falar de amor.

– Evitar machucar as pessoas por ter sido ferido.

– Pagar as contas e voltar a pensar em casamento.

– Ter um filho.

– Ser menos hipócrita quando falar de filhos.

– Alinhar a vida.

– Ter paciência.

Para todos, um ótimo ano novo e que tudo se realize e aquelas coisas todas que vocês já conhecem.

Obrigado à todos, do fundo do coração. E desculpem qualquer coisa que eu tenha feito em 2009, pois, na verdade, é quase certeza que eu volte a fazer em 2010.

Feliz ano novo e até o ano que vem.

Anúncios

Algo foda.

Primeiramente, esse texto não é meu. Tô colocando aqui pela falta de ter o que escrever e porque achei foda demais esse texto.

Segundo. REPITO: Esse texto não é meu. Segue fonte: http://malvados.wordpress.com/2008/11/21/meu-livro-nao-e-a-arca-de-noe/ O primeiro que encher o saco, via blog ou pessoalmente, além de moderar os comentários,  mando à merda na mesma hora. ESSE TEXTO NÃO É MEU! GRAÇAS À DEUS. ( Mas é foda).

RONDA

(Para Carolina Passos)

Carolina, você não tinha o direito de pular. Você não tinha direito de se transformar no meu penhasco. Porque eu sou bem moço e já tenho o meu próprio penhasco (um grande e confortável penhasco de três quartos na Barra). Carolina, sua filha da puta. Eu te amo, eu te amo, eu te amo e merecia muito muito muito morrer bem antes de você. Porque eu sou bem moço e já tenho o meu próprio penhasco (um penhasco com vista para o mar). E porque eu não merecia, eu simplesmente não merecia. Não sou melhor do que ninguém, mas eu não merecia mendigar a Deus que você volte, toda durinha, linda linda linda de doer, só para ouvir os palavrões dos homens rudes que bebem nos bares, dos homens nojentos que nunca lhe amaram. Mas eu? Eu não merecia, eu sempre te amei e não merecia. Eu te odeio, sua filha da puta. Você é quem merecia me ver morrer todos os dias, Carolina. Você é uma filha da puta e eu te amo e juro que te odiarei para sempre. Porque eu deitei sobre sua sepultura com a garganta em sangue e quarenta graus de febre. Porque eu gritei que te amo e que te odeio e que te amo e que te odeio para Botafogo inteiro ouvir. “Saudades eternas”, eu vi que seu nome estava bordado em uma coroa de flores, ao lado da minha sentença. Você não tinha o direito de ser meu penhasco, sua filha da puta. Eu te amo, se você soubesse o quanto eu te odeio.

Voltando de viagem.

Um buraco na diversão.

É assim que me sinto ao retornar pra casa depois de dois, quase três, dias na praia.

Detesto praia, todos sabem, mas tudo estava realmente muito legal. Resolvo rever meus conceitos. Não. Eu realmente odeio praia. Calor, mulheres quase nuas, maresia, suor, água salgada, gordas desfilando como se fossem realmente as donas do mar, vendedores de camarão murcho… Eu odeio praia. Mas amei as companhias. Fazia uns anos que não me divertia rodeado de areia.

Ah! O buraco… Isso porque volto pra lá no próximo fim de semana. Ao menos pretendo. Pretendo continuar a coisa de “beber pra cacete e tomar café da manhã ainda bebendo pra evitar a ressaca”! A coisa foi punk mesmo!

Passei por lugares conhecidos e me deu muita saudade de alguns dias em que estive por lá pouco tempo atrás. A feirinha, o prédio onde fiquei. Mas tudo fica no passado como muitas coisas; no passado assim como o natal. Mas agora estou em meu lar como de costume. Agora escrevo essas linhas com uma cerveja do lado do Notebook e um vinho esperando por mim na geladeira. A saudade do Davison e esperando nesse exato momento que ele me ligue mais tarde dizendo que vai descer aqui. Saudades de muitas pessoas, e foram apenas dois, quase três, dias na praia. Sou nojento e pegajoso.

Liguei para algumas pessoas especiais quando cheguei, outras, não menos especiais, deixo que me liguem.

Meu peito ainda transpira maresia e minha pele parece que nunca mais vai voltar ao normal… Mas compensou enfrentar o cheiro salgado do ar. Até apelido ganhei! Jesus. Isso não foi exclamação! Foi o apelido que ganhei… Jesus Cruz! Pode? Ainda estou pra entender.

Acendo um cigarro agora ainda pensando no que deixei no litoral. Se pudesse ainda teria ficado mais. Foi uma viagem da qual eu não esperava nada de divertido, mas que me surpreendeu no momento em que coloquei meus pés no carro. Isso porque desde esse momento, não parei de rir. Tirando a parte de ter que dormir (eu perdi uns 4 kilos suando durante a noite e não consegui pregar os olhos por conta do calor absurdo) foi tudo legal.

Agora penso exaustivamente em algumas pessoas das quais eu queria dar muito um abraço agora.

O retorno solitário no ônibus de viagem também me serviu para poder ver o quanto sou anti social. O menino do meu lado bem que tentou puxar assunto, mas eu estava ocupado demais ouvindo The Hives no IPod e observando toda paisagem que ficava pra trás, para que finalmente, eu possa ir trabalhar na segunda feira. Bacana, não é?

Acabei de receber uma ligação da Wendy. Isso sim é bacana! Uma grande amiga me ligando num pequenino momento.

Para que vocês não percam o costume:

– Ósculos e amplexos!

Jingle bells or One Horse Open Sleigh.

Então é Natal?

Esse ano passou rápido demais!

No entanto, no fim das contas, foi um dos anos mais importantes pelos quais passei! Foi um ano de provações, crescimento e descobertas de mim mesmo. Foi o ano em que minha personalidade ficou um pouco mais clara a mim mesmo. Um ano em que percebi que nossos amigos, os verdadeiros, sempre vão estar do nosso lado, e que sim, podemos ser perdoados pelas cagadas que fazemos.

Amanhã vou mandar uns mails pra algumas pessoas das quais devo desculpas. Pessoas que hoje vejo que me fazem falta, e que perdi assim, por bobeira, besteira minha. É aquele mesmo papo de fim de ano. Aquele papo que nunca cansamos de fazer. Não existem juras em julho, sempre tem que ser em dezembro porque achamos que a virada do ano é uma espécie de “marco zero”. Sendo assim, que tudo de ruim fique pra trás e que esse novo ano venha com força total e que tudo seja coisas novas, mesmo tendo medo do “novo”.

É isso.

Uma boa terça-feira pra vocês.

Ó&A.

Adeus!

Está decidido em definitivo!
E agora que realmente está decidido, fica certa frustração.
Vai ser triste ir lá e trancar a matrícula, mas acho que eu mesmo fiz de tudo pra ter uma desculpa pra sair da faculdade, e consegui! Quem disse que não sou um cara bem sucedido?
Vou fazer alguns cursos mais úteis a mim. Vou ter tempo pra trabalhar mais pelas minhas coisas, mas a tristeza ainda está aqui. Mas valeu. Conheci um bocado de gente bacana, e só não saí antes de lá por causa delas.
Adeus São Judas… Ou até logo… Sei lá!

Beatriz!

Como eu sempre digo. Namorada minha não vai a festa da empresa… 70%alcoolizado. A Seguradora faz isso comigo… Em plena vila Daslu… Mon Die, chers… A coisa foi foda. Quitutes a dar com o pau. Meninas de vestido (amo vestido, já disse?). E definitivamente. O dia em que eu tiver uma namorada que trabalhe no mesmo lugar que eu, não vai às festas de fim de ano não!

Mas o ápice de tudo foi voltar de carro com um bom amigo que v ai ser pai. Que inveja boa a minha. Sinto-me tão feliz.

Eu sempre falava pra ele que ele precisava de um filho, e melhor do que isso, veio uma filha! Ele está saltitante, feliz e contente feito uma gazela.

Quando eu tiver minha filha, ela se chamará Beatriz. Está decidido. Então, se quer ter uma filha comigo, terá que encarar essa decisão.

Minha filha será a coisa mais fofa do mundo. Tenho 26 anos. Não sei quanto tempo vou durar e aceito propostas de barrigas! Só preciso de uma filha!

Não liguem pra mim. Acabo de chegar da festa da empresa. Bêbado. Posso improvisar uma história de ultima hora??? Então lá vai!!!!

Não vai nada não.

O ser absurdo vai é descansar!

Eu mereço.

Eu mereço.

Bêbado sou uma desgraça. Um caos. Inconfiável. Maleável. Supremo. Suserano. Mas ainda assim tenho “medo de ir da cama a noite pro banheiro, medo de saber que tinha ali alguém comigo vendo fazer tudo o que se faz dentro de um banheiro”… (Toca Raul).

Ta confuso?

Eu também.

Meu dia foi cheio de nostalgia e tristeza e burrada e idiotice. Vejo que ainda não estou recuperado. Fim de ano é uma merda. Eu tenho medo!

“Trancado dentro de mim mesmo eu sou um canceriano sem lar”. Toca Raul, PORRA!

Desligar MSN na cara é mancada. ¬¬

Ósculos e Amplexossssssssssssssssssssssssssss!

O primeiro presente de Natal vai para…

Ohé!

Hoje resolvi, depois de mais ou menos um ano, colocar  mão no pincel e fazer um quadro. Mas a imagem dele não vai vir para o Blog e, tão pouco ficará na parede da minha casa como os outros, este tem o destino certo para um cara especial, o meu ídolo Santiago Nazarian.

Estou sujo de tinta enquanto faço este post. O quadro será um presente, e vai ser uma honra para mim ele ter em sua casa algo que eu fiz, e que, sinceramente, é o melhor quadro que faço depois do que fiz para a pequenina Ariel.

Sou fã. E como todo fã desse mundo, fico bobo ao ter contato com o ídolo. Já trocamos muitos e-mails, mas assim, não me iludo que ele lembre de mim a cada uma das mensagens que mando, mas acho que depois do presente, ele vai lembrar…

Momento fã. Me deixem.

O cara é meu ídolo, e quem não tem ídolos?

Ainda fecho um livro de contos com ele. Nem que me custe 30 anos de vida, ainda fecho!!!

Óvulos e Anexos!