Fim de setembro.

   Você já deu um abraço em sua secretária hoje?

   Hoje, dia 30 de setembro, é o dia da Secretária, mas porque comemorar? O que tem demais nisso?

   Na verdade é que essa profissão perdeu um pouco do seu encantamento para cair nas mãos do caso erótico, bom, isso fez com que se tornasse até interessante, pois ficar às escondidas com secretárias é bom, ainda mais se for a dos outros, mas acontece que a seriedade do cargo foi perdida, pois secretária significa algo como “guardadora de segredos”, bonito, né? Pois elas são o braço direito de seus patrões, e tem a obrigação de guardar os segredos deles. Mas um romancezinho com uma secretária bonita também é nada mal!

  

Agora que cansei de ser cultura, vamos falar besteiras!

   Tomei no rabo nas duas provas que fiz ontem… Bom… Ainda está pra confirmar, mas tenho quase certeza que eu me ferrei de verde e amarelo. A vontade de sair da São Judas diminuiu depois que eu fiz as provas… Acho que desanimo quando fico sob pressão, mas ainda assim eu ainda chispo de lá!

    O fim de ano já está chegando, vocês perceberam?

    E a gente anda aqui com a mesma vidinha de sempre, ano sai, ano entra e nada de gozar da vida! Os dias passam pelos olhos como se fosse água no rio! Puro Epicurismo!

   Amanhã já é dia 01.10.2009, e eu vou fazer uma pergunta e quero que me respondam: O que vocês fizeram neste ano? O que?

    Tomara que esses três meses restantes sejam melhor que os que passaram e bem pior que os que virão!

   Bom  outubro pra vocês.

Anúncios

Uma promessa para o segundo ano.

Hoje eu estou cheio dos provérbios, cheio das historinhas pra contar… Talvez ainda conte alguma por aqui!

   Estou bem contente hoje, com exceção das duas provas que tenho que fazer, mas ao menos poderei sair mais cedo da faculdade hoje e fazer adivinha o que? Escrever mais da minha querida Serena! Agora que cheguei na parte onde queria da história, está tudo ficando bem legal.

   Você deve estar achando estranho a repetição de palavras, mae eu tinha tanta saudade de escrever sem me preocupar com isso!!!!!!!!

Foto para as pessoas que já nem lembram da minha cara ridícula! Né, Sara? ¬¬

Foto para as pessoas que já nem lembram da minha cara ridícula! Né, Sara? ¬¬

  
Recebi hoje o inicio do Livro da Luciana. E sinceramente acho que vamos ser uma bela dupla de escritores! Fiquei entusiasmado com apenas quatro páginas que ela me enviou. A Lu tem um jeito muito legal de escrever; usa palavras bacanas, mas não deixa o texto difícil… Lembrou-me o Lord Byron! Mas apenas lembrou, pois nenhum escritor parece com nenhum! Nunca vi um escritor com a mesma estilística de outro.

  

   Hoje tenho as duas provas que perdi na semana retrasada. A noticia caiu feito uma bomba na minha cabeça via SMS da Débora e por Scrap da Elda, via Orkut (vocês duas são uns amores!). Ainda levei uma espécie de bronca da Elda, que foi bem sarcástica ao deixar o recado! Mas já chega eu ter prova de Lingüística e Gramática…

   Vou fazer uma promessa. Se eu não for bem em nenhuma das duas provas, tranco em definitivo no início do ano que vem, se eu for bem em uma e não em outra, vou continuar pensando. Mas se eu for bem nessas duas provas, dou a palavra que sigo em frente no segundo ano… Agora vamos ver.

De volta à vidinha normal.

Agora que a vida voltou ao normal, fica aquela ressaca psicológica… Voltar pra faculdade não é fácil, ainda mais quando se está descontente.

   O simpósio não foi de todo mal, se bem que, ao menos no dia em que fui, estava meio parado, vazio… Só havia o pessoal do curso mesmo! Os professores estavam lá, fazendo a cena de “uau”, pra cima dos livros. Se deus quiser, será meu ultimo de literatura infantil.

    Meu corpo está acabado por abusar da noite de todo o fim de semana. Ontem estava arrependido por ter dormido tão pouco e tão torto. Estou mancando das duas pernas de tantas dores… Tem, idéia?

   Por hoje é só! Vou lá pegar um lanche de salame com queijo derretido, um Toddy quente e um fandangos, e almoçar aqui na minha mesa escrevendo mais de minha história… E não reclamem de meu almoço, pois todos os prazeres são orais, e tudo o que faz mal, tem muito mais sabor!

DSC00130

DSC00082

Todo mundo merece uma sexta como a minha!

Adeus à Sálvia.

Minha planta morreu… Terminou com o caule pelado… Não fui nada cuidadoso também, assim como não cuido de nada… Aí ela morreu… Adeus Sálvia Divinorum… Foi bom enquanto você durou.

Antes de começar esse post, tenho que agradecer a Grá por ter lido o que escrevi da chapeuzinho vermelho! Bom ver pessoas que gostam de ler, ainda mais o que eu escrevo, hehe.

Bom… Sábado para todos… Todos merecem um pouco de descanso. Ontem a noite terminou que nem me lembro, mas me lembro quando deitei, depois não me lembro de mais nada, sabe porque? Porque dormi, óbvio! E acordei com um puta de um susto! Ah… Mon dieu! Foi bacana a sexta, beber com amigos, conhecer gente nova… Beber com quem a gente gosta… Nada melhor que isso; e neste momento, às quatro horas da tarde, uma cerveja antes de ir jogar futebol… Sim, eu jogo… Sou goleiro, e dos bons, acredite ou não! Mas sou o cara que nunca sai da quadra rsrs. Eu tenho que ter meu lado homem, fazer o que? Se não eu seria uma mulher completa… Feminismo não me falta, mulheres são melhores pra tudo. Melhor pra se olhar, melhor pra se beijar, deitar na cama, e são melhores pra enganar também! É o ser perfeito! Se Adão tivesse achado a maçã primeiro, Deus sorriria pateticamente e deixaria tudo  quieto, mas até ele tem medo da mulher! Imaginem se a Virgem Maria se revoltasse e gritasse: “Eu quero dar, porra!” Seria uma balbúrdia! Nossa… Que comentário esse meu… Por isso vou ao inferno… Mas sei que Deus me fará umas visitas, porque ele gosta de mim e eu dele. É isso aí!

Por falar em mulheres, ontem no bar fui xavecado por um cara… Nossa! Ele prostrado na cadeira e eu me jogando em cima do balcão com um néon na testa “Mantenha distância mínima de um metro!”. O néon piscava e ele nem ligava! Deus abençoe o Caio por me salvar! Mas foi legal ver mais tarde a cara de frustrado do rapazote! Nada contra, mas seja delicado e tudo dará certo rs.

Estou ocupado demais amassando os maços vazios de cigarro por aqui e tentando ver Avatar e digitando esse post, então tenho que eliminar uma das tarefas… Adivinha quem perdeu???

Bom sábado para todos!

Pois é! Acho que chove.

   Ah… Mas acontece que se eu não acredito em mim, me ferro. Não consigo nada. Já não consigo muita coisa que eu quero, mesmo acreditando, quase nada… Bem pouquinho.

   Eu tenho que acreditar no que escrevo. Cada linha que eu sangro significa muito para mim, e eu acho que um dia, quem sabe depois que eu for fazer turismo pelo inferno, tudo o que eu tenha escrito se torne importante, reconhecido… As pessoas me amarão pelo que escrevo, e não pelo que sou, e isso é uma grande vantagem, tendo em vista que as coisas que crio são, de fato, mais interessantes que eu mesmo; ninguém cria nada menos interessante que si mesmo.

   Ah… Sei lá… A verdade é que ontem fiquei me perguntando por que escrever tanto. Não sei… Talvez eu tente fugir da merda de pessoa que sou desde pequeno… Raciocinando por um lado, pode ser que você tenha razão sobre isso. Às vezes posso ser injusto, egoísta; mas juro que não é por mal. Aí fico bravo e escrevo, escrevo e continuo escrevendo. E pra que escrever? Pra me exibir, pra todo mundo ficar dizendo “nossa, Charro! Que legal”… É como o Cazuza dizia em uma de suas músicas “Canto pra me mostrar, de besta, de besta de besta…”. Eu escrevo de besta, pra me mostrar, mas juro que se eu fosse uma pessoa demasiadamente ruim, escreveria muitas coisas absurdas sobre mim e as pessoas que me rodeiam! Eu escreveria sobre minha vida sem ter que deixar nada subliminar. Mas aí as pessoas me odiariam. Se expusesse a forma que penso sobre toda essa bola de merda que pisamos, as pessoas me odiariam. Ou não! Talvez simpatizassem comigo… Sei lá… Ah! Chega disso. Existem pessoas mais lixo do que eu por aí. Então, deixem-me em paz.

livro_aranha

   Sou uma merda de pessoa com meus vícios. A maioria das pessoas têm vícios, e alguns piores que os meus… Tem, gente que tem vicio de matar, outros tem o vicio de machucar, de ferir… Vicio de pisar nas pessoas… Eu apenas gosto do meu cigarro e da minha lata de cerveja do lado do computador enquanto escrevo, e eu preciso disso… Não sei o motivo, mas preciso… Mas estou no meu canto, fazendo mal apenas a mim mesmo… E no fim das contas quem morrerá cedo sou eu, o máximo que terá que fazer, ou melhor, o máximo que terá que agüentar, será as coisas que deixei escrito… Aí você vai pegar os textos, vai entrar nesse blog, vai ler tudo como nunca quis ler… Vai ler os inúmeros textos que eu mandei e você nunca terminou de ler… São textos de merda, eu sei, mas quando tudo acabar, todos eles serão os únicos “Best Sellers” que você lerá!

    Agora vou comer meu Kinder ovo*. Tomara que venha uma surpresa bem legal! Hoje é um dia que pede uma boa surpresa, uma surpresa gostosa… Quem sabe o Kinder não faz isso por mim?! Quem sabe não venha um 38 pra eu montar…

*Post Scriptum: Não veio 38 coisa nenhuma. Veio um quebra cabeça de urso   🙂  Não são cinco mil peças, mas é um quebra cabeça!!

Eu também quero ser um velho safado.

   Hoje uma amiga minha disse que eu parecia o Bukowski! Até agora ainda não entendi bem o porque, mas uma hora quando ficar claro eu conto pra vocês. E veio bem a calhar, pois estou justamente lendo “O capitão saiu para o almoço e os marinheiros tomaram conta do navio” dele mesmo! Interessante quando essas coisas acontecem.

Engraçado como eu nunca havia o mencionado aqui!

Engraçado como eu nunca havia o mencionado aqui!

   Pra quem nunca leu Bukowski, fica aqui a dica. É uma ótima leitura. Mas ótima mesmo, tanto que ele é conhecido como “O velho safado”.
    Ele quase chegou a ser tudo o que eu gostaria de ser… Quase… Conseguiu fama e hoje em dia é um dos escritores mais influentes que passaram pela terra. Um verdadeiro gênio, beberrão, velho descolado e tudo o mais… É… Ele quase foi tudo o que eu gostaria de ser mesmo!

E quem disse que escritor não tem "beneficios" e facilidades?

E quem disse que escritor não tem "beneficios" e facilidades?

   Hoje eu passei pelo Blog do Santiago Nazarian, e vi que no fim das contas a Literatura está tomando uma postura de banda… Claro que sem os benefícios; mas aqueles que escrevem estão cada vez mais fazendo parcerias, nem que for pra tirar foto. Estão se unindo mais por aí e acabam até lançando livros de contos todos juntos!

Eu quero uma banda de escritores!  (foto retirada do blog do Nazarian - Jardim Bizarro - Link ao lado).

Eu quero uma banda de escritores! (foto retirada do blog do Nazarian - Jardim Bizarro - Link ao lado).

   Será que um dia eu chego lá?

   Vai saber.

    Essa é a semana do simpósio, hoje eu vou lá pra beber uma cervejinha e depois estou indo pra casa e não retorno pra lá até segunda feira.

   Depois eu disponibilizo o meu livro do simpósio aqui para baixar!

    Até mais pessoal.

You is Evil. I wanna be evil. Lies… Lies…

   Quando eu era moleque (e talvez ainda o seja) minha mãe vivia me dizendo que se por um acaso eu brigasse na rua e voltasse pra casa chorando, ela ia me bater de novo; e assim eu nunca tive muita coragem de brigar na rua, porque besta do jeito que era, sabia que ia apanhar e voltar chorando… Aí depois apanhar mais uma vez em casa?? Ah, não! Não mesmo! Então sempre evitei atritos, pois minha mãe me alertou muito bem sobre o que aconteceria caso eu perdesse uma briga.

   O que minha mãe não me explicou, é o que aconteceria se eu ganhasse uma luta! Não que ela tenha sido desleixada, isso ela nunca foi, mas talvez tenha achado desnecessário dizer o que faria comigo se um dia eu chegasse em casa sorrindo, e assim, passei boa parte do meu tempo concentrado em minhas derrotas, em minhas lágrimas. Lutando a todo tempo para nunca chorar, ainda mais na frente dela. Algumas vezes eu fraquejei, admito, e nestas vezes ela não cumpriu com o que disse que faria. Ao invés disso, me abraçou dizendo frases como: “Não brigue mais”, ou “Guarde os seus beijos por enquanto”. E assim fui crescendo. Aprendendo com minhas derrotas e nunca experimentando nada das vitórias que eu tive, na verdade eu nem sei se tive alguma vitória nesse curto e continuo tempo de vida, mas eu sei das perdas que tive e das vezes que apanhei, de cada dia que fraquejei… De cada dia que achei que não levantaria mais. Mas agora começarei a prestar mais atenção nos triunfos meus! Exibirei meus troféus sem piedade…Cantarei cânticos de vitória e dançarei pelo sereno primaveril da madrugada, e quando acontecer de eu ser derrotado mais uma vez, chorarei na certeza de que também ganhei algo no meio de tudo isso que nunca valeu a pena para nada!