Viva la vida louca.


  Ao som de Deep Purple me pergunto: O que seria um “bom estilo de vida”?

  Não me acho alcoólatra e, tão pouco, um depravado social, mental ou qualquer coisa “al” que encontrarem por aí. Gosto de mim assim, e acho que perderia 80% de minha graça se resolvesse seguir uma vida regrada, acho besteira. As pessoas gostam de mim assim, e se, por um acaso, eu vier a falecer mais cedo, terei dado de tudo de mim nessa vida que eu carrego com orgulho.

  Viver bem pra mim, não significa ter saúde física, mas sim mental. Quanta gente bem de saúde anda chorando por aí? E por incrível que pareça, existem muitos doentes que dão um baile de vivencia nesses menininhos esportistas.

  Tenho amigos que me veem tomar um porre e no dia seguinte estão me ligando pra dar risada da minha cara e perguntar como anda a ressaca, e como sempre eu respondo que graças a Odin não sofro do mal da ressaca do álcool.

  Enfio-me em tudo o que é buraco. Quando me chamam pra beber e eu tenho certeza que sou bem vindo, vou até o inferno pra buscar diversão, sem me importar com o tipo de gente ou música. A diversão é o que conta, mas preciso, claro, me sentir bem vindo. E quem não precisa? Se tiver cerveja, boa conversa e distração ilimitada, lá vocês encontrarão o Charro. Pode ser sóbrio ou bêbado, mas serei sempre como fui e como sou.

  O que quero dizer é que, por mais que pareça certo, serei sempre o “doido” que sou. Gosto de ser assim e as pessoas gostam de mim assim, então, que mal há?

  Antes minha vida sedentária regada a cerveja do que ser um cara sem criatividade, sem pensamentos e sem experiência. Gosto de fazer “arte”.

  Dizem que artistas morrem sozinhos; isso porque, talvez, eles não gostem de serem travados por pensamentos mundanos, como casar e ter filhos. Se casar e ter filhos significar se abdicar de fazer arte, terei orgulho em morrer só. Nunca ouvi falar em ninguém que mudou o mundo ao seu redor vivendo como a sociedade pede, mas, graças a Odin, sempre tive pessoas ao meu lado, ao menos a maioria delas, que apoiou meu lado criativo e meio maluco… Tenho que agradecer pelas pessoas que tenho ao meu lado HOJE. E que “sigam-me os bons”.

 

   Nessa terça tem o lançamento do livro “O prédio, o tédio e o menino cego” do Santiago Nazarian. Vai ser num bar. Quem quiser ir, procure no Orkut a comunidade do autor e se informe, to com uma preguiça enorme de escrever agora o endereço e tals, mas quem sabe, amanhã, eu seja um menino bom e coloque aqui… Quem quiser ir, me ligue. Vamos juntos.

 

  Beijos e bom dia.

3 comentários em “Viva la vida louca.

  1. É claro que você vai morrer sozinho, não acha que é pedir demais todos que gostam de você morrer junto com você? huahuahuahauhauahuaha

    Vida regrada? Bah, isso são para os fracotes e vc não é desse tipo.

    “Closing time, open all the doors
    And let you out into the world
    Closing time, one last call for alcohol
    So finish your whiskey or beer”

    Tradução: ” O tempo está próximo
    Abra todas as portas e se permita cair no mundo
    O tempo está próximo
    Última chamada para o álcool
    então termine seu whisky ou cerveja”

    e é isso aí…te gosto assim mesmo.

    CARPE DIEM, melhor CARPE OMNIUS!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s