E.

 Já fazia tempo que eu não ouvia falar das Letras com tanta paixão… Realmente fez falta esse tempo que passei longe de minha faculdade… longe do meu Curso.
 Por mais que desprezem, por mais que digam “credo, que curso chato”, é um dos cursos mais nobres que há. Meu lado ruim vê diversão em olhar para baixo e pensar: “fala direito”. Isso porque ninguém entende a paixão pelas palavras e pela escrita. Por saber mais que qualquer um o que todos devem saber… O básico cujo qualquer ser humano DEVE aprender… Pensem o que quiserem, digam o que quiserem. Letras é Letras. Quem ofende meu curso ofende minha pessoa, pois é dificil eu encontrar dentro de mim um amor igual ao que tenho pelas matérias que envolvem meu dia e meu cotidiano. Falem mais. Sempre olharei por cima.
 Aquele texto mal feito; a lei dentro do elevador que está absurdamente mal escrita… Vocês percebem estes detalhes? São capazes de ver as nuaces? As singelas nuaces…?
 Não?
 Eu sabia.
 Parvos.

 *****************************

Teu problema é meu problema.
Tua vida é sua, mas não esqueça que estou dentro dela.
******************************

 Hey, hey. Come on to night!

Anúncios

Sexta-feira 13.

 Eu gosto da sexta-feira 13. Não sou supersticioso,  então gosto do clima das pessoas que o são; o modo como ficam meio cabreiras…

 Acho que qualquer dia destes escreverei um conto de terror e azar.

  Enquanto isso fico aqui pensando por essa manhã em tudo o que foi mutável. Tudo o que desapareceu com o tempo. Mas ao contrário do meu terrível, idiota, exagerado, insuportável, ridículo, cretino e, por fim, imbecil drama canceriano, hoje falo mais com saudade e beleza.

 É engraçado dizer que a alguns anos atrás era muito fácil fazer uma festa e se divertir de verdade. Já passou anos.

 Um tempo atrás, tudo era meio verde. Meio mágico talvez. A gente conseguia resolver as coisas com um pouco de conversa e vinha depois aquela “rasgação” de seda desgraçada… Era meio idiota, mas hoje faz todo sentido do mundo.

 Lembro-me do tempo perdido em balcões.

 Lembro-me do tempo em que gastei sentado em praças. Tempo perdido bebendo vinho em dia de semana… Lembro-me da bebida como comemoração, e não como calmante.

 O que vejo ao meu redor é que tudo muda; o mudo muda e até mesmo as pessoas cuja nunca acreditei que seriam capazes de mudar, mudaram. Só eu não mudo.

 

 Hoje chegando ao trabalho, fui forçado a olhar para os lados… E percebi que nem mesmo esse local, cuja porcentagem ainda é tão pequena em minha vida, já não é mais o mesmo faz tempo… Faz tempo.

 

 Ah. Dane-se.

Vai, Zéé!! Coooortaaaaaa!

Hoje eu estava a rir mais um pouco com o livro Ria da minha vida antes que eu ria da sua – “Evandro A. Daolio. E parei pra pensar que realmente tem coisas das quais passamos, cuja quais só podemos dar risada mais tarde… E ainda existe muito pra gargalhar… Às vezes quando eu rio da história do autor do livro, lembro da minha e engulo o riso na hora, logo depois torno a rir de e dele!
Estou rindo de minha vida eu mesmo antes que você ria dela! Está aí um bom título para o próximo livro da série de Daolio. Pode pegar. Dou-te de presente. (risos).

Por falar nisso, estava fuçando nas coisas velhas aqui no meu computador da empresa e achei uma coisa muito velha que eu tinha escrito (posso dizer “escrevido”?). Não sei se já postei aqui, mas se postei, postarei novamente. Acho que foi uma das coisas mais maldosas que já escrevi, e das mais idiotas também!!!

Jura que Sofre
Jura que corre
Socorre
Sucumbi
E morre

Jura que chora
Chegou minha hora
Se arrepende
Me rasga
Me explora

Me come
Me bebe
Me toma

Jura que tens
O que não tens
Te alimento
Esquento
E dou vez

Te ponho na terra
De solo arado
Te vejo
Te cuido
Aparo

Jura que um dia
Cuida de mim
Me mente
Despreza
Dá fim

Jim Malone.

 Nunca tive dúvida do que seguiria na minha vida em relação a sonhos. Tinha que ser o meio artístico. Mas sempre estive em dúvida sobre a ramificação que iria atrás.
Música, literatura e até artes plásticas já estive afim; porém, assim como o meu escritor favorito, caí nas graças da literatura.
 Ainda não sei escrever, mas sei ter idéias, por isso estudo para passá-las ao papel.
 A música ainda está presente em minha cabeça e, quem sabe, eu não me torne um músico escritor? Vai saber… Existe chance para tudo nesse mundo. TUDO MESMO. Até para aquele amor que te deixa desesperado no meio da madrugada (PS.: Adivinha).
 

Logo da banda feito pelo Bruno, O baixista.
Logo da banda feito pelo Bruno, O baixista.

 Esse é o logo da minha banda. Bonito, né? O som é igualmente bom.
 

 Voltando à Literatura: Não, não sou e nem quero ser poeta… Acredito que o estágio para ser um poeta é muito ruim e nunca termina, fora a remuneração que é baixa. É necessário que sofra muito por amor até se formar, mas o problema, como já citei agora mesmo, é que este estágio é interminável, e eu já pedi minha demissão disso. Agora eu quero é paz na vida e um copo de laranjada ao meu amor. Logo, não sou isso e nem quero ser. Mas sei que tenho boas idéias, sementes que germinarão muitas histórias para contar!
 O fato é que não consigo me imaginar fazendo outra coisa daqui a pocos ano. Eu tenho que escrever e ponto final! Ganhar a vida fazendo arte, no sentido literário da palavra.
 
 Para os anônimos da vida, que algumas vezes surgem no meu blog, obrigado pelas postagens, seja lá quem forem…
 
 Agora vou dormir porque amanhã é dia de trabalho, e eu ainda não ganho dinheiro nem com música e nem com livros. Boa noite!
 

Em menos de um dia.

Em menos de um dia eu passei a entender como se sente…
Ruim quando escrevemos algo e não nos dão atenção… Eu sei… E menos de 24 hr eu tenho que adimitir e te dar a razão… Aí a gente vê que essa coisa de blog é meio estúpido, porque nós mesmos nos exibimos e ninguém diz nada… Não apenas por comentário, mas o fato é que ninguém nem liga, pois quando escrevemos alguma coisa, escrevemos para alguém em especial… Sempre… Do contrário, seria apenas uma coisa superfula… sem nada de especial… eu entendo… e acho que farei o mesmo que ti… Esconderei um pouquinho aquilo o que tenho para escrever… E tudo o que posso fazer é apenas te pedir perdão… Perdão por ser uma entre as muitas pessoas que não lhe derão atenção em sua palavras fumegantes e sedentas… Desesperadas…

 Eu estou desesperado…

 Mas esse blog não saberá mais disso por um tempo… Se for pra escrever, serão coisas superficiais… Pois se é pra viver à margem das pessoas que gostamos, é melhor que nós mesmos venhamos a nos esconder, assim não poderemos culpar ninguém… Falarei agora de coisas INÚTEIS… 
 Viram o jogo do timão? E do tricolor?? A goleada do “Parmeira”!!!

 Interessante é aquilo que interessa.
 Felicidade é aquilo que não presta
 

 Sou mais que um bebado
 Mais que um fumante compulsivo
 Mais que um velho chato
 Tenho meu coração e as lágrimas que derramo sem que saiba… Agora sabem…
 Sou humano e me derramo.
 Em frases simples que ninguém pode saber… E eu estou cansado de saber e entender.

 entender dói
 Machuca a carne e quebra o osso.
 O que estou escrevendo?
 O que estou pensando?
 Mais nada…

 Boa noite… Espero que tenham todos uma melhor noite que a minha. Com erros de ortografia e uma imagem cravada na mente… Oras… Durmam bem.

Novo banner.

 Como podem ver, eu alterei a imagem aí em cima… É que aqueles duendezinhos já estavam me dando no saco e, fora, que me sinto uma nova pessoa no dia de hoje.
 Ontem, enquanto fiquei imóvel na frente do computador esperando dar a hora de dormir, fritei a cabeça pensando em assuntos sérios, então a metamorfose começou. Essas coisas de submissão, aceitação, contrariação… COisas do genero. Não pega mais legal. Tem uma hora que tudo fica muito chato e infantil… Então, pelo menos até agora às 13hr e 34min. sinto como se tivesse dormido uma pessoa e acordado outra… Ainda bem que os sonhos existem para evitar os exageros da dose…

 Pela manhã, como de costume, peguei o metrô lotado. Um ármário ao meu lado parecia querer desabar sobre mim. Jogava o corpo com tudo. Ao ver que iria ceder, olhei para o meu lado, mas logo engoli seco o grito de “MADEIRAAA…
 Uma pobre senhora estava ao meu lado; não podia deixar aquele monstro continuar me empurrando, podia machucar a idosa, tão frágil, tão… tão… Sei lá. Petrifiquei meu corpo ao ponto do homem empurrar e ele mesmo ir para trás.
– Não precisa empurrar! – Disse ele.
– Não estou empurrando.
– Parece trouxa, nunca pegou metrô?
– Peguei sim, só que tem uma senhora aqui do meu lado e eu não vou machucá-la.
– Dane-se! Isso aqui é sempre assim, moleque idiota! Eu não vou te segurar!
 Enraiveci.
– Não estou pedindo para me segurar, pois eu é quem está te segurando para não machucar a senhora aqui ao lado.
 Fez cara de tacho, balbuciou algum tipo de reclamação e abriu espaço para que eu pudesse sair na Sé… Mas e meu mado daquele jumento me dar um tapão? Que ódio matinal me deu… Quem me conhece, sabe que não sou dos mais carinhosos pela manhã, e eu só não exponho minhas palavras em pensamento, porque posso ser preso… de verdadde… Então vamos manter isso como “sensurado”.
 No fim não sei, viu… Tenho vontade de esganar o cara… Mas aquela senhora… tão frágil… vivida e desgastada… O QUE TINHA QUE FAZER NA MERDA DO METRÔ AQUELA HORA SABENDO COMO SÃO AS COISAS PELA MANHÃ, PÔ! QUASE TOMEI UM MURRO DO CARA!

 Agora vou postar uma letrinha de uma música que cai feito uma luvinha 100% algodão… Daquelas que a vovó lava com o amaciante Fofo.

Refrão de Bolero
Engenheiros do Hawaii

Eu que falei: Nem pensar
Agora eu me arrependo
Roendo as unhas
Frágeis testemunhas
De um crime sem perdão…

Mas eu falei
nem pensar
Coração na mão
Como o refrão de bolero
Eu fui sincero
Como não se pode ser…

E um erro assim, tão vulgar
Nos persegue a noite inteira
E quando acaba a bebedeira
Ele consegue nos achar…
Num bar!

Com um vinho barato
Um cigarro no cinzeiro
E uma cara embriagada
No espelho do banheiro…

Teus lábios são labirintos
Que atraem os meus
Instintos mais sacanas
o teu olhar sempre distante
sempre me engana
Eu entro sempre na tua dança de cigana ….

Eu que falei
Nem pensar
Agora me arrependo
Roendo as unhas
Frágeis testemunhas de um crime sem perdão

Mas eu falei sem pensar
Coração na mão
Como o refãro de um bolero
Eu fui sincero como não se pode ser

Teus lábios são labirintos
Que atraem os meus
Instintos mais sacanas
o teu olhar sempre me engana
É o fim do mundo todo dia da semana.

A.B.C.

 Tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente, tentando ser indiferente tentando ser indiferente, tentando ser indiferente…

Essa foi digitada mesmo… Sem copiar e colar, afinal, estou tentando ser indiferente, pois toda a felicidade no mundo insiste em ser indiferente e louca… Relativa, talvez… E no fim das contas, todo mundo só ama o próprio bem estar. Tenho que ser assim, não ser diferente… Me esforçar pra ser indiferente.