A falta que faz.


 É na solidão do verão que vejo a falta que faz
 Mesas vazias e uma boca cheia de palavras
 Palavras que não sairão daqui tão cedo
 Palavras de um distante incômodo

 Opte pela beleza da incerteza
 Enquanto meus olhos nus se divergem no azul de seu mar
 Meus olhos já não são mais o mesmo
 E nem em meu rosto querem ficar

 Vaga é a certeza de uma escolha
 Concreta é a decisão que não tomei
 E mesmo sendo minha morada a cidade
 Seria neste campo o meu lugar?

 Rouba-me
 Usa-me
 Devora-me
 Apaixone-se
 Encanta-me
 Faça-me suar nos teus braços livres enquanto é tempo
 Faça-me viajar pela sua alma anil antes que seja tarde
 Porque eu, sinceramente, ainda não sei…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s