Voila ma vie

  O retrato sorrateiro que derrama os pensamentos em meu ser, que me faz paralisar e imaginar como seria. Morro nos seios de teu corpo verdejante. És morte em ti, oh terra que enterra o meu ser.

  Visto que é loucura este amor a acabar. Enlaço flutuante uma dor a estalar. Empalo teu gemido e sufoco com minha boca, és bela mesmo morta no meu ódio e no adeus.

  Desrespeita-me com gosto tudo aquilo que faz bem. Entrega-se com fome para tudo e a ninguém. Enterra-me a faca em meu colo que te esquentou; fala uma palavra do que disse e não errou! (?)

 

 Oh! Se tudo fosses como só és teu mundo. Mundo frio e desumano, sem amor e leviano!

  Levanto-te a caveira e ofereço-te ao meu deus, cujo qual em teu tutano beberá o sangue teu.

 

  Dê vivas a desgraça que corrói.

  É vivas à você, meu amor que não destrói!

 Não por querer e, nem mesmo, por não saber

 Fui eu quem me tornei o que pra ti não é viver

 

 Monstro teu desse mar seco (em dunas de sal)

 Faço de tua carne todo lar que eu vendi

 És bela só por fora

 Il n’a pas vie

“Cézar”

See you space, cowgirl.

  Odeio gente mole.

  Andar no metrô pela manhã me irrita, ainda mais quando estou atrasado… Mas nem é isso o que tanto incomoda; o que incomoda de verdade é aquele pensamento que te deixa meio triste, com um frio na barriga… Você sabe que está fazendo a coisa certa, mas queria tanto fazer a coisa errada… Droga… Já fiz tanta coisa errada, mas não consigo me esforçar pra fazer mais uma vez… Se bem que a definição de “coisa errada” vai de pessoa pra pessoa… E apesar desse erro ter passado a ser um fato consumado a uma semana, o fato é que acho que num quero continuar não… Na verdade eu quero sim (risadas maléficas), mas num posso… Num vai acabar bem, e eu sei como funciona esse tipo de situação… Num acaba bem, porém pensar de uma forma contrária a minha vontade, trás uma dos e um frio ruim no estômago, e uma tristeza de como se eu tivesse apaixonado há tempos… O fato é que não dá pra ensinar truques novos para um cara velho e nem truques antigos pra quem tem muito o que aprender.

 

*

 Não vou esperar mais e até agora não saquei a diferença de tudo isso…

*

 Não costumo pisar no mesmo tomate por mais de 2… 3 vezes…

*

 Ah, menina! AH! Menina!!!!

 

 Agora separei aqui minha lista de presentes para o Natal. Não que eu me divirta com o Natal… Na verdade quero que o Natal e o ano novo passem bem rápido… Acho que vou levar mais uns três anos até me livrar desse trauma maldito… Fora que em Janeiro vou viajar se Deus quiser e Jesus Cristo permitir… Se não eu fujo, tanto faz…

 Então como não há muito-o-que-esperar-desse-Fim-de-Ano, vou pedir presentes de Natal. Segue a Lista:

– 1ª Ed. Do Amazing fantasy Spider-man. (Ed. Numero 1 do Homem-Aranha).

– Uma camiseta do São Paulo. A camiseta numero 1, por favor.

– 1ª e 2ª Ed. Do “As crônicas de Spiderwitch”, (Acho que escreve assim). O fato é que esgotou tanto nas livrarias quanto na própria editora… Não acho mais esses dois livrinhos.

– DVD da primeira temporada do Dr. House (Tem na Livraria Cultura).

– Um IPhone (Quem me presentear com um IPhone, dou o meu IPod (30Gb)).

– Um “Vale uma publicação de seu livro”.

– Uma balada firmeza com tudo pago.

– Um abraço forte depois da meia noite do dia 24 para 24/12 que me passe a sensação de que tudo irá ficar bem e que as coisas vão começar a se ajeitar de uma vez por todas e, que ao contrários dos outros últimos 3 anos, este vai ser realmente fantástico por cada um dos meses que se passar e não haverá nenhum pingo de ilusão e mentira… (se é que um abraço pode fazer tudo isso).

Juíííízo.

“Se existe bolacha de água e sal, significa que o mar é um enorme bolachão.”

  Quero trabalhar, mas a preguiça está me vencendo a cada minutinho que passa.

  Estive pensando aqui o quão eu sou um cara normal e sem nada de mais e de menos… Nem sou tão sem noção aqui. Passei a pensar isso depois que vi a noticia de que a Malu Magalhães (16) estaria tendo um affair com o ex-Los Hermanos Marcelo Camelo (30).

  Tomara que o casal de pombos seja feliz para sempre ou enquanto o Marcelo Camelo estiver vivo (ai, maldade minha).

  Desde Antes de ontem peguei pra ouvir novamente Rock Industrial com uma das minhas bandas favoritas, The Faint.

  Letras ácidas, uma melancolia pós-modernidade… Uma depressão pós-coito!! É isso! Ótimo para se ouvir em uma depressão pós-coito… Faz mais mal do que ouvir Nine Inch Nails num dia de chuva.

 

  A saudade da faculdade também está grande… Mas sou forte a agüento até o Ano que vem!

 

 thefaintdansemacabre-2001

 

Agenda Suicide

The Faint

You could follow logic
Or contest it all
The work solution makes the common house a home

The element of progress
That you mention is gone
It de-evolved to something you were headed toward

As i lay to die the things i think
Did i waste my time. i think i did- i worked for life

All we want are just pretty little homes
Our work makes pretty little homes

Like a cast shadow
Like a fathers dream
Have a cut out son
What’s a worse disease
To get that pretty little home

As i lay to die the things i think
I dont want to regret what i did- i worked for life

All we want are just pretty little homes
Our work makes pretty little homes
Agenda suicide, the drones work hard before they die
And give up on pretty little homes

(like a cast shadow)

Our work makes pretty little homes
Our work makes pretty little homes
Agenda suicide. the drones work hard before they die
And give up on pretty little homes

Os Patifes

 Pois é.
 Início de semana caótica e vai entrando no feriado com um gosto de coisa errada e gostosa… HUmm… Que coisa. Bom é quando faz mal. Bom é quando tá errado… Bom é quando dá frio no estômago.
 Agora estou de banda nova, e quem diria… Tocando com pessoas que eu sempre quis tocar… Fazendo um tipo de música que sempre achei bacana mas nunca achei que tocaria… This is Blues, baby rs.
 Finalmente tocando pra valer, a guitarra grita com o baixo e o baixo grita mais alto com a guitarra… A bateria tenta apartar e o vocal vai fazendo uma melodia sobre o que acontece… “Ela levou meu rim”, “Meu amigo é banguelo, mas ele gosta de mim”… Os Patifes… Pode ser que este seja o nome.

 O vento bateu calmo na manhã e ficou bem forte no fim da tarde… A euforia cretina que faz com que eu consiga me embebedar com duas latas de cerveja… Ainda estou me perguntando o que pegou… Alegria + cerveja = PORRE… Incrível, não?

 Ah! Agora sou um “Oifalante” finalmente… Mandarei um mail divulgando o numero.

           Hoje nada de poético a não ser em meus sonhos… Boa noite, criançada.

Sexta-feira . Lembraças de Luana . Final.

“Lembraças de Luana”.

 Foi estranho o fim de tudo. Um fim meio feliz, um fim triste.

 Acordei no hospital com minha mãe ao meu lado. Eu não conseguia falar muita coisa, e nem queria na verdade… Talvez fosse isso.

 As gotas do soro pareciam fazer um barulho enorme enquanto eu ainda parecia desgrudar minha cara do carpete… O seu cheiro estava em mim… Eu podia sentir.

 Mas agora já foi… Minhas malas estão prontas; e eu, de partida.

 Como queria ter lhe visto. Minha mãe me contou tudo.

 Você foi naquela sexta-feira.

 Eu imagino a cena que deve ter visto ao abrir a porta.

 Meu corpo no chão. As seringas espalhadas em meio minha “over-dose”. Sinto muito ter te passado esta última cena. Queria ter lhe dado mais… Queria ter lhe amado mais. Dado-te mais.

 Queria estar lá para ver. Você me levando em seu colo desesperado em busca de uma ambulância, saindo do prédio e gritando por ajuda… Meu coração dói só de pensar nisso… Minha mãe me descreveu com tantos detalhes, com tanto amor que eu me arrisco a dizer que ela ainda te ama. Ama tanto quanto eu te amo.

  Me deixou no hospital e ligou para minha mãe.

 Quando chegou lá, teve uma séria conversa… Vou te dizer o que ela me contou.

 Ela me disse que você entrou no apartamento na noite de sexta-feira e me viu jogada ao chão. Foi até meu corpo e viu o que se passava… Saiu chorando comigo em seu colo, me beijava na boca e gritava por socorro. Eu em over-dose; você em desespero.

 Levou-me até o hospital e depois ligou para minha mãe, e quando ela chegou, você disse que não sabia quem eu era… Disse que me deixou por isso.

 Ela me contou que uma semana antes você foi procurar minha família para conversar, para dizer que me amava e que mesmo eu sendo tão nova, queria levar uma vida comigo, mas que quando viu a coincidência que acontecia ali, acabou ficando louco… Ah, meu amor… Eu sinto tanto por ser filha de quem eu sou.

 Você foi amante de minha mãe por mais de dois anos e depois se distanciou dela, tentando levar uma vida normal. E depois de alguns anos se apaixonou por uma menina muito mais jovem. Era eu. Filha dela. Como prever isso, não é?

  Agora sei porque partiu sem nem mesmo ter pra onde ir… E como fui injusta com você essa semana toda. Meus pensamentos acusando sua pessoa, fazendo “mil egos” de você… Sinto tanto.

 Ela me disse que você partiu para que não destruísse minha vida com tudo isso, e eu sinceramente acho irônico você ter se destruído dessa maneira. E assim, eu passei a odiar as sextas-feiras.

  Depois de conversar com ela você simplesmente sumiu. Não disse pra onde ia e nem o que faria.

  O apartamento que me deixou, vendi e doei “a grana” toda. Só separei uma pequena quantia da qual comprei duas camisas com seu numero certo. Uma está em você e coube como uma luva, a outra eu guardo comigo e uso de camisola.

 É engraçado. Minhas lágrimas mostram o como é engraçado que naquela noite quem se matou fui eu, porém no sábado, eu mesma velei teu corpo.

 Sinto muito que as coisas foram assim.

 Tenho-lhe em meu coração. Amo-te.

 Mamãe achou melhor que eu fosse para Paris. Vou passar uns bons anos por lá. Talvez volte quando completar vinte anos… Não sei…  Ainda me alimento de seu amor. Não um alimento carnal, mas um alimento do coração, e preciso me livrar disso.

 Estou indo pra longe. Uma cidade longe, meu amor.

 Paris é uma cidade tão velha, mas que parece tão jovem, assim como eu.

********************************************************************************************

 O que dizer sobre Luana?

 Absolutamente nada.

 E é com um sorriso no canto de minha boca que eu deixo ela partir para a França.
 Tome juízo, Luana… Pois você veio de uma inspiração sem modelo nenhum… Sem ninguém em quem se inspirar…

 Cuidado, minha amada personagem.

 

       Com o amor de um criador.

  S. Charro.

Quinta-feira . Lembranças de Luana – 4

“Lembranças de Luana”.

  O telefone tocou, eu não atendi. Não foi falta de interesse não. Eu juro, meu amor.

  Estiquei meus braços o mais alto que consegui, do carpete ao criado mudo, mas não deu.

   Fui enfraquecendo e perdendo a vontade de te esperar… Foram tantos dias sem comer, pairando em outro mundo… Ah, meu amado… Sei que não virá nesta sexta. Mas também não quero voltar para casa… Quando saí de lá, você me disse que nos sairíamos bem. Disse que eu deveria lutar pelos meus sonhos e, que seu meu sonho era morar com você, eu deveria ir de frente contra meus pais e lutar por meus desejos.

 E foi assim que fui morar com você aos quatorze anos. Não sei como meus pais não chamaram a policia… Não sei como não mandaram lhe prender… Talvez minha mãe tenha impedido meu pai de fazê-lo por saber que se tratava de um antigo amante que agora estava levando sua filha para o abate também…

  Aos quatorze saí de casa. Aos quatorze “me casei”. Aos quatorze me fez mulher. Aos quinze Você se foi.

  Claro.

  Eu era mulher pra você em sua cama, mas na hora em que estava com fome, cansado, eu não passava de uma menina. Mas como eu poderia fazer isso?

   Você mesmo se comportava como se estivesse cuidando de uma criança! Pensa que nunca ouvi você dizendo aos nossos vizinhos que eu era apenas a filha de sua irmã?

   Porque não assumia: Ela é minha mulher!

   Qual seria o problema?

   Como eu poderia saber cozinhar para você? Passar suas camisas, suas calças… Ir fazer a compra do dia.

   Não. Você me tirou de casa e eu não tinha aprendido nada disso, e em pouco tempo você perdeu a paciência, se foi…

 

  Mas pra minha casa eu não volto. Como olhar para minha mãe e sentir o asco de ela ter traído o papai com você? Como?

   Como olhar na cara suja dela e ver que ela sabe de tudo, sabe do seu sexo, do seu beijo… Ela me olhando e sabendo perfeitamente como você se enfiava entre minhas pernas.

   Não. Esse gosto eu não darei a vocês. E como sei que não virá amanhã, ficarei aqui. A polícia o procurará quando precisar remover de sua casa, o corpo seco e jovem que você fez de mulher.

 

 

Quarta-feira . Lembranças de Luana – 3

“Lembranças de Luana”.

   O carpete do quarto enorme queima meu rosto sem piedade e eu nem sei quando ele vai parar.

   Quanto tempo faz?

   Ontem no fim da noite o telefone tocou, era a mamãe… Como você teve coragem de contar tudo para ela? Como teve coragem de dizer que havia me deixado para sempre e que era para ela me tirar de sua casa antes que eu acabasse com tudo… Você disse que eu venderia tudo?

   Eu descobri muito sobre você. Eu vi aquelas fotos. Eu vi, uma por uma… Porco nojento. Entrou na minha mãe e entrou em mim também. Como eu queria poder dizer isso ao meu pai… Num foi justo com ele e nem comigo… Tanto você quanto minha mãe são dois sujos que fazem minha vergonha mais parecer um balde de pedras preciosas.

   Usarei minhas drogas que você tanto odeia em cada canto de sua casa, até que as contas se acumulem e meu corpo padeça. Perderá-me para a morte e perderá sua casa para as contas… Desgraçado.  Satisfarei a mim mesmo por todo sofá da sala e enxugarei meus dedos em teu quadro… Pensando bem, chamarei qualquer homem com o dobro de minha idade para que me faça mulher mais uma vez… Mandarei que eles coloquem aquela sua camisa que deixou aqui; farei com que tomem banho no seu chuveiro, que deitem em sua cama e que comam o corpo que um dia foi seu.

 

   Maldito.

 

   Minha mãe… Eu vi aquela foto… Você e ela… Juntos.
   Ela e depois eu.

   Onde pretende chegar?

   Minhas drogas e minha libido me salvarão até sexta.

****************************************************************

  Luana tem tudo de apaixonada que eu nunca tive… Num curto muito me arriscar com este sentimento que eu tão desconheço, que tão pouco entendo, e por mais que as pessoas venham tentar racionalizar, é impossível que isso seja feito. Gosto da paixão quando ela está  longe, mas quando está por perto ela é uma das coisas mais deficientes do mundo…

 Luana já não se importa… Boa sorte Luaninha… Tomara que ele apareça…