Terror na Selva.


 Ah, criança!

 Achaste mesmo que por ti eu faria qualquer coisa? Será que te enganei tão bem assim? Será que não sabe quem sou eu?

  Claro que não, pois mal me conhece; não sabe dos ferimentos que sou capaz de causar, e por isso eu te digo: Sente-se agora, pois quem dá as cartas aqui sou eu, e tua cabeça vai pesar; teus olhos castanhos pararão de brilhar; tuas pernas tremerão… Como você foi má…

  Exiba-me e maltrate… Mostre-me e me guarde…

  “Agora que a Selva voltou a ser aterrorizada por seu Rei, o mangue torna a ficar em paz…”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s